O Em Foco desta semana é marcado, principalmente, pelos nomes de Fernando Fernandes, mais conhecido por FF, e de Luciana Abreu. O concurso em que ambos os cantores participam tranformou-se numa autêntica competição, na qual os meios de comunicação social dão um destaque cada vez maior. Seja entre os fãs ou entre o desejo de os próprios participantes irem mais além no mundo da música, a verdade é que se estabeleceu uma batalha onde os restantes concorrentes de A Tua Cara Não Me É Estranha ficam num plano secundário. Quem diria que depois de uma primeira edição tão interessante, a segunda temporada passasse a ter como ingrediente principal as prestações de apenas duas estrelas do programa da TVI?

De facto, na noite em que se iniciam as galas de Ídolos, é importante perguntar até que ponto estes dois concursos conseguem criar junto dos telespetadores uma empatia igual à do passado. Se, apesar de tudo, o programa apresentado por Cristina Ferreira e Manuel Luís Goucha se intitulava de familiar, agora reduz-se a um projeto de cantores que tentam, a todo o custo, ser os favoritos dos portugueses. Já no talent-show da SIC, poucas novidades vão marcar a noite deste domingo. O mesmo júri, o mesmo formato, os mesmo apresentadores… Até que ponto os mesmo ingredientes conseguem consolidar as audiências de um canal?

Estará a batalha perdida?

Na SIC, os Globos de Ouro marcaram o último domingo, nomeadamente com a entrega do prémio Mérito e Excelência a Francisco Pinto Balsemão. Esta surpresa, preparada pela família do antigo primeiro-ministro e por algumas das caras mais conhecidas da SIC, levou a que Júlia Pinheiro fosse chamada à atenção. Segundo a apresentadora:

Levei nas orelhas por causa disso. Ele foi muito gentil, ligou-me na segunda-feira, dia 21, a dizer que tinha gostado muito. Ainda lhe perguntei se podíamos fazer mais patifarias, mas disse-me logo que não…

Brincadeiras à parte, a verdade é que o que estava estipulado era a entrega do galardão ao Xutos & Pontapés, banda que tem marcado desde há vários anos a musica portuguesa. Com uma longa carreira, o grupo foi assim preterido a Francisco Pinto Balsemão, um dos grandes impulsionadores da televisão privada em Portugal. Depois de vinte anos, a realidade dos ecrãs nacionais é outra, e a SIC consegue agora ver uma luz ao fundo do túnel.

Como serão os próximos vinte anos?

Na RTP, os projetos em cima da mesa são vários. De acordo com Hugo Andrade, diretor de programas do primeiro canal, está em fase de pré-produção uma série na linha daquilo que é o ‘Pai à Força’ e a ‘Maternidade’, mas com mais longevidade. Em entrevista à Correio TV, revista que integra o jornal Correio da Manhã, o profissional da estação pública admitiu que várias produtoras entraram em conversações com a RTP para trabalhar outros formatos e histórias.

Como à crise económica poucos escapam, incluíndo o mercado audiovisual português, dos projetos apresentados serão escolhidos entre cinco e seis para abrilhantarem a grelha de programação do primeiro canal.

No entanto, e se o investimento em televisão implica cada vez mais riscos, parece que o contrário milionário estabelecido com Marina Cruz para pentear as caras da RTP vai contra essa ideia. Depois da tão falada contratação de Paulo Futre, que exige o pagamento de 30 mil euros, fala-se agora de outra decisão por parte da direção da estação pública que se opõe aos tempos de contenção que se vivem.

Afinal, existirá mesmo uma ideia de poupança no primeiro canal?

Até para a semana!

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados