Geral Televisão

Efeito Coronavírus: O que mudou (e continua a mudar) na televisão portuguesa?

Os últimos dias têm sido de grandes mudanças e agitação na televisão portuguesa, nomeadamente nos canais generalistas, e tudo por causa do Coronavírus, conhecido como Covid-19. O que mudou até à data, e o que vai continuar a mudar?

Um pouco por todo o mundo vivem-se tempos difíceis devido à pandemia do Covid-19. Não só a nível da saúde, com o vírus infelizmente a afetar milhares de pessoas, como também no nosso dia-a-dia, na nossa vida social, e muito mais. Se pelos dias que correm é pedido à população que fique por casa, com o cancelamento de diversas festas e eventos, para muitos que seguem essa regra a única companhia continua a ser a televisão, que foi igualmente afetada (e muito) pela propagação do vírus.

Vivem-se tempos de mudança, e em Portugal os principais canais generalistas não ficaram imunes às consequência do Covid-19. Poucos dias depois de março começar, tanto a RTP, como a SIC e a TVI começaram a revelar os seus planos de contingência, evitando a presença de público nos seus principais programas de daytime feitos em direto e não só, como também a suspensão da gravação de vários projetos e novelas que estavam a decorrer nos últimos dias.


Leia também: Jogos Olímpicos Tokyo 2020 adiados oficialmente devido ao Covid-19

De forma global, sem dúvida que a TVI foi o canal mais afetado até ao momento: com uma nova edição do Big Brother prestes a arrancar, e que tinha como objetivo principal recuperar a liderança das audiências, as medidas de segurança levaram a que o reality-show tivesse de ser adiado por tempo indeterminado. Também o Somos Portugal, feito ao ar livre aos sábados e aos domingo, e que sobrevivia graças às festas e romarias feitas em Portugal, foi igualmente cancelado, levando a que o canal trouxesse para a sua grelha reposições e mais reposições. Por outro lado, e de forma a colmatar algumas falhas na programação devido à suspensão de alguns formatos, a TVI apostou de forma excessiva em diversos especiais dedicados ao Covid-19, que só vieram afundar ainda mais o canal no que toca às audiências. Nota positiva apenas para os concertos emitidos aos domingos  à tarde.

Se a TVI foi o canal mais afetado, possivelmente a RTP1 foi o canal que melhor conseguiu contornar a crise do Covid-19 através do seu plano de contingência. Sem a presença de público nos seus talk-shows e também com o adiamento do Got Talent Portugal e suspensão do Aqui Portugal em direto, Na primeira semana de implementação das novas medidas saltou para a vice-liderança em todos os dias úteis, e as apostas que tem realizado para colmatar as falhas dos formatos em direto vão-se revelando certeiras, mantendo os números dos antecessores.  As tardes de sábado continuam a ser preenchidas com compactos do Aqui Portugal, assim como a noite de domingo continua a trazer também compactos do Got Talent Portugal. Teatro, séries nacionais e cinemas têm sido apostas do canal para estes tempos de crise, e no futuro prevê-se que o mesmo continue a seguir esta linha de programação. Por fim, mas não menos importante, a RTP1 foi o primeiro canal generalista a estrear um programa completamente realizado em teletrabalho, dando assim sinais de vida nesta fase crítica.


Leia também: Covid-19 obriga ao adiamento do «IndieLisboa 2020»

Pelo meio encontra-se a SIC. O canal líder de audiências em Portugal foi o único a conseguir numa primeira fase a manter a sua grelha de programação intocável graças às gravações e apostas que tinha guardadas na gaveta, conseguindo igualmente manter em stand-by O Programa da Cristina, Júlia e Olhó Baião, apostando durante uma semana em conteúdos gravados destes formatos. A informação também deu um salto gigante nas audiências, ao ser cada vez mais a preferida dos telespetadores, com resultados que há muitos anos não eram registados.

Contudo, se até ao momento a SIC respirava de alívio, começa agora a sua fase de preocupação: A Árvore dos Desejos já esgotou os seus programas gravados, tendo já este sábado sido emitido um compacto e que perdeu nas audiências, assim como 24 Horas de Vida, que também terá a sua última emissão transmitida neste fim-de-semana. Ambos os formatos estão com as gravações suspensas devido ao Covid-19, assim como as gravações das novelas Nazaré e Terra Brava. Amor de Mãe, que também foi suspensa no Brasil devido a não existirem novos episódios gravados por causa do Coronavírus, deverá ser o próximo programa a ter também as suas consequências no canal de Paço de Arcos.


Leia também: Efeito Covid-19: Eurovisão 2020 é oficialmente cancelada

O futuro continua assim incerto, sendo por isso uma fase de redescoberta na forma de fazer televisão, que vai ter de ser obrigatoriamente explorado por todos os canais generalistas. Nenhum canal está a salvo, e nem mesmo uma grelha composta na maioria por reposições é solução para quem do outro lado procura o melhor entretenimento para estes dias de isolamento.

Outras Notícias