Entrevistas Música

Entrevista – ZERO: «A Cultura nunca foi muito apoiada»

Damos início ao nosso mês de aniversário com mais uma entrevista exclusiva, sempre com o objetivo de dar a conhecer novos talentos nacionais, e não só. Desta vez, trazemos até aos nossos leitores o projeto musical ZERO, liderado por Pedro Vaz, e que poderá conhecer de seguida.



Para quem não conhece, o que é o projeto ZERO?

O projecto ZERO nasceu por causa da pandemia e pelo facto de estar fechado em casa sem poder trabalhar e estar com os que mais gosto.

Já se encontra disponível o single Gritar. Como surgiu o processo criativo para este single?

O Gritar foi a primeira canção a surgir e o tiro de partida para este projeto . Componho diariamente e quando o País e o Mundo fecharam pela primeira vez senti uma impotência muito grande pelo facto de não poder fazer nada para alterar o facto de estar fechado e não poder trabalhar nem estar com os meus familiares, em particular com os meus pais.

Como tem sido a receção do público a este lançamento?

A receção tem sido muito boa! O Rock é sempre um estilo “maldito” mas aos poucos chegamos às pessoas.

Que géneros musicais marcam em especial este projeto?

O projecto ZERO é mesmo Rock.

Como surgiu a ideia de lançar o projeto em plena pandemia?

Este é um projeto fruto da pandemia. Só fazia sentido pô-lo cá fora enquadrado no panorama que vivemos

Será esta uma forma de “Gritar” e alertar também para o estado em que a Cultura se encontra neste momento?

Também um pouco isso! Realmente a Cultura nunca foi muito apoiada mas agora neste contexto sentimo-nos todos abandonados.

O que podem os fãs esperar do EP de estreia deste projeto?

Podem esperar um projecto Rock , muito honesto.

Da música para a televisão, acompanham algum programa em particular?

vejo muito pouca televisão. Hoje em dia só Netflix e HBO. e um noticiário por dia pois estão sempre a repetir as mesmas coisas e por regra só desgraças.

Acredita que a música devia ter um maior destaque no panorama televisivo?

Claro, mas sou suspeito nessa opinião.

Que conselhos pode deixar a quem se pretende dedicar ao mundo da música, mesmo em tempos de incerteza e de pandemia?

Não diria um conselho mas acho que na música ou em qualquer outra arte ou oficio tem de se gostar muito do que se faz para abraçar uma vida inteira a fazer isso.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não vai ser publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.