Entrevistas Música

Entrevista – Ricardo Tê: «Um país sem cultura é um país sem identidade»

Dando cartas no mundo da música, Ricardo Tê é uma das promessas da atual geração do talento nacional. Além de cantor, é também um dos jurados do All Together Now, cuja estreia está marcada para esta semana na TVI. Fiquem ligados em mais uma entrevista exclusiva do Quinto Canal, e fiquem a conhecer um pouco o trabalho deste artista.



Em poucas palavras, como se define o Ricardo Tê?

O Ricardo Tê é um sonhador e um menino sempre em busca das realizações pessoais! Por mais difícil que seja o caminho, ele vai à luta com o que pode e o que não pode. Basicamente tem dificuldade em desistir de algum sonho que sente que pode alcançar.

Lançou recentemente Tu Não Me Sais da Cabeça. Como tem sido a receção do público a este single?

É muito difícil nos dias de hoje ter um feedback em grande escala em relação aos temas que tenho lançado, por dia aparecem centenas de músicas novas no mundo inteiro ao qual os utilizadores têm acesso.

Os amigos próximos e familiares gostam quase sempre mas seria importante a montra de espetadores ser mais vasta, pois aí sim, existe dificuldade em estar para ficarmos com a sensação real do que a música faz sentir ao grande público. No fundo, sinto que o tema foi mais uma prova de bom caminho e dedicação para fazer mais e melhor.

Quais foram as principais inspirações para este single?

Sou grande fã de The Weekend e a sonoridade está um pouco semelhante tanto nos efeito vocais quanto ao instrumental. A música relata uma história de quão difícil é separar-nos de uma relação, o desapego ou não ter mais essa pessoa na nossa vida deixa-nos muitas vezes sem chão e com sentimento de perca mesmo quando a decisão é nossa, no fundo essa pessoa fica imenso tempo sem nos sair da cabeça, pelos bons e maus motivos 🙂

Como surgiu o gosto pela música na sua vida?

Desde muito novo que canto e que toco bateria, cantava em frente aos espelhos de casa a simular guitarradas ai vivo para um grande público e tocava bateria nas almofadas da casa com as agulhas de fazer malha da minha mãe 🙂



Começou de forma oficial a carreira na música aos 28 anos. Ser cantor sempre foi o seu sonho?

Sempre foi o meu sonho sim! Oficialmente a solo foi aos 28 anos mas tive outros projetos antes, uma banda de escola com 14 anos de idade intitulada 4 four noise, depois disso uma banda Hungerstrik e outra mais profissional onde gravamos um EP de cinco temas em estúdio intitulada de Bairro dos Castiços onde fui sempre baterista e fazia segundas vozes.

Algumas das suas músicas já fizeram parte da banda sonora de diversas novelas em televisão. De que forma vê este reconhecimento na sua carreira?

Talvez tenha sido o maior passo que tive na carreira a solo, os temas a tocarem e mesmo a participação em alguns episódios da novela mostraram-me ao mundo de outra forma! Um grande aumento de seguidores nas redes sociais e também concertos por várias cidades do país 🙂

Qual foi o momento mais marcante que já viveu em palco?

O momento mais marcante foi no estádio de Leiria nas festas da Cidade onde abri o concerto de Matias Damásio com milhares de pessoas à minha frente, foi incrível de inicio ao fim! No momento em que cantei o tema `When You´re Down, acenderam se milhares de isqueiros e luzes de telemóvel e vou ficar com essa imagem para o resto da minha vida, foi lindo!

O que podem esperar os fãs do Ricardo Tê para os próximos tempos?

Podem esperar novas músicas e várias surpresas no que toca a programas de TV, um em especial que ainda irá iniciar.


Numa fase crítica para a Cultura, que apoios devia receber este setor para fazer face aos estragos da pandemia?

Estou desapontado com toda esta situação! Gostava que existissem alternativas para que pudéssemos tocar nem que fosse com menos público. Acho que a cultura devia ter o mesmo tipo de apoio que está previsto para outras áreas.

Não gosto muito de dar a minha opinião neste sentido de comparações, mas um país sem cultura é um país sem identidade e penso que não querem ver isso.

Da música para a televisão, costuma acompanhar algum formato televisivo em especial?

Gosto de programas em que os artistas de várias áreas falam sobre os seus trabalhos e sobre a sua caminhada para o sucesso. Adoro o programa Alta Definição.

Acredita que devia ser dado um maior destaque ao mundo da música em televisão?

Sim, cresci a ver e ouvir muita música na TV, penso que “cada vez existem menos oportunidades neste novo mundo aparentemente de oportunidades“.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não vai ser publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.