Televisão TVI

Nicolau Breyner não considera desafiante o seu papel em «O Beijo do Escorpião»

nicolau breyner

Depois de ter integrado o elenco de Louco Amor, Nicolau Breyner está de regresso aos ecrãs da estação de Queluz de Baixo na nova telenovela do canal. Apesar deste novo projeto, o ator considera-o apenas mais um na sua longa carreira. À revista Lux é desta forma que o carateriza: «O Beijo do Escorpião não é um desafio. É uma tarefa que cumpro como qualquer profissional. Há papéis desafiantes. Este não é muito. É bom, mas não desafiante.»

O profissional que muitos anos de trabalho já deu à TVI aproveitou igualmente para destacar o talento de alguns colegas que já trabalharam nos seus projetos. «A Patrícia Tavares já fez vários filmes meus. O Diogo Morgado também. Não é que sejam fetiche, são pessoas com quem gosto de trabalhar e tive a sorte de ter papéis para eles. Como a Margarida Marinho. Se calhar, um dia não vou ter papéis para eles. Aliás, gostaria de poder fazer filmes com papéis para atores específicos, mas em Portugal é complicado.»

Recorde-se que o último filme do ator foi o 7 Pecados Rurais que, até agora, já foi visto por 350 mil telespetadores em apenas 9 semanas.

Sobre a concorrência da ficção da SIC, Nicolau Breyner apenas adiantou que não tem tempo para a acompanhar, tendo em conta que trabalha cerca de 15 horas por dia. «A TVI está a fazer novelas muito boas, como se calhar a SIC também. Somos uma indústria de novelas que não envergonha ninguém. Vejo poucas novelas. Agora então, tenho de estudar os papéis para fazer no dia seguinte. Trabalhamos 15 horas por dia», concluiu.

Artigos Relacionados