Riscos

Antes de haver uma geração inteira de morangos e de inúmeras séries juvenis que viriam a retratar a complicada vida que têm os adolescentes, surgiu na RTP uma série que foi a pioneira de todas elas: Riscos.

Tratando-se na altura um próprio risco para a estação, a série foi um rasgo de inovação na ficção que se vinha a fazer no canal, ao prometer retratar de forma fiel a realidade dos adolescentes da época.

Exibida semanalmente, Riscos abordou praticamente todas as problemáticas conhecidas pelos adolescentes dos anos 90, mas também os seus valores de amizade, camaradagem e espírito de equipa.

Nos pouco mais de cinquenta episódios a que a série teve direito, dividia em duas temporadas contínuas, foram abordados temas como racismo, anorexia, skinheads, doenças sexualmente transmissíveis, gravidez, pedofilia, suicídio, prostituição, homossexualidades, conflitos geracionais, cultos e drogas.

Riscos
© Edmundo Rosa, Ana Rocha, Frederico Ferreira, Paula Neves, Sara Gonçalves e Fernando Martins

Nas promoções de divulgação da série, a RTP descrevia-a como «uma série portuguesa, ousada e jovem que procura o inesperado, o íntimo, a emoção… RISCOS tem sensualidade. Arrisca abrir a discussão a temas controversos. RISCOS aposta em imagens a cores e com cores que são anseios, vontades, alegrias… RISCOS é ser jovem em 1997. Olhar inquieto, a câmara vê, desvenda com liberdade e sensibilidade, procura o real e encontra fantasia. RISCOS é um prazer jovem, dito com palavras, gestos e música que se insinua, fica com lugar de destaque e se mostra na imagem… ARRISQUE!!».

Passada num colégio onde muitas coisas aconteciam, para o bem e para o mal, Riscos foi severamente criticada por não seguir o seu propósito de retratar a realidade. Por exemplo, na série, alunas dormiam com professores em troca do enunciado dos exames, algo que foi visto como uma ofensa à profissão. As cenas de sexo, que praticamente ocorriam em todos os episódios, o amadorismo dos atores e da realização, que pretendeu inovar ao seguir os atores pelos estúdios, foram outros pontos a que os críticos apontaram o dedo.

Riscos
© O Elenco original da série dezoito anos depois para uma sessão fotográfica da VIP
Leia também: Lembra-se de Anjo Selvagem?

Ainda assim Riscos conseguiu prender o telespectador jovem, que sobretudo, compava os acontecimentos da série com os da sua escola.

Sendo uma posta de peso da RTP, a série contou com várias participações especiais, não só de atores portugueses mas também brasileiros.

Hoje, Riscos é visto como um marco nas histórias juvenis em Portugal, tendo sido a primeira produção do género no país. Foi uma escola para alguns dos atores que hoje dão a cara em produções nos canais privados ou em teatro. Paula Neves, Ana Rocha, Fernando Martins, Edmundo Rosa, Sara Gonçalves e Frederico Ferreira foram os seis protagonistas mas muitos outros rostos se estrearam na série. Hugo Sequeira, Susana Arrais, Alda Gomes, Ivo Canelas, Nuno Lopes, Márcia Leal, Nuno Távora e Paulo Rocha foram alguns dos nomes que começaram em Riscos e que ainda hoje permanecem no pequeno ecrã.

O primeiro episódio foi para o 1997 na RTP, há dezanove anos.

[youtube id=”M2B9wzNPmMQ” width=”620″ height=”360″]

Artigos Relacionados