Rubricas Só Séries

Só Séries: «Stranger Things» voltou ainda mais estranha

Will, Mike, Dustin e Lucas estão de volta para mais uma temporada repleta de novos desafios e novas personagens. E se acharam que a primeira temporada dificilmente seria ultrapassada, enganam-se. Stranger Things voltou com ainda mais estranha e deixou ainda mais perguntas no ar.

O final da temporada anterior de Stranger Things deixou-nos com muitas perguntas. A série que já se tornou um culto tem prestado ao longo da sua duração homenagem a outras produções que por si só são consideradas culto. Esta nova temporada não é exceção e podemos encontrar vários easter eggs ao longo dos episódios, com imensas referências à cultura dos anos 80. Entre as quais, estão referências a Dragon’s Lair, Mad Max, The Terminator, E.T., Ghostbusters, Halloween, Freddy KruegerPoltergeist e Friday The 13th.

Stranger Things

ESTE ARTIGO PODE CONTER SPOILERS

Situada praticamente um ano depois dos acontecimentos da temporada anterior, Will continua a ser vigiado para se perceber os sonhos que continua a ter sobre o Upside Down. Mike está revoltado com o desaparecimento de Eleven especialmente porque sente que esta não morreu. Dustin e Lucas continuam com as aventuras próprias da idade e criam uma pequena rivalidade com a chegada de uma nova personagem: Maxine (Max) (Sadie Sink). A chegada de Max a Hawkins é um mistério mas os dois rapazes rapidamente se apaixonam por ela e lutam entre si pela atenção dela.

Joyce tem um novo interesse romântico, chamado Bob (Sean Astin) e a dinâmica do casal é um dos grandes focos da temporada. Aliás, notou-se alguma preocupação dos produtores em abordarem mais as personagens secundárias, uma vez que foram fortemente criticados por Stranger Things só dar importância a Eleven. No seguimento desta preocupação, houve também espaço para que Jonathan e Nancy pudessem ter o seu próprio destaque. Mas a personagem que melhor evoluiu ao longo dos episódios foi mesmo Steve, que lutou novamente contra criaturas estranhas para proteger os mais novos.

[youtube id=”R1ZXOOLMJ8s” width=”620″ height=”360″]

Apesar desta nova temporada de Stranger Things procurar dar destaque às outras personagens, a verdade é que Eleven adquiriu um estatuto que dificilmente lhe será retirado. Após a brilhante cena inicial da temporada pensamos que vamos a ficar a saber mais sobre a história do Laboratório Nacional e das várias coisas que esconde. Tal acaba por não acontecer concretamente…

Leia também: Só Séries: O poder e humor feminino em «Glow»

Já é certo e sabido – porque o trailer assim o denunciou – que Eleven está viva no mundo normal. E além do seu novo visual e vocabulário desenvolvido, a mesma parte numa aventura para descobrir a mãe. Esta decisão acaba por levar a uma série de outras que não serão tão boas e que trazem nova dinâmica a Stranger Things. Contudo, ficou a sensação de que está a faltar algo – e não me vou alongar correndo o risco de dizer mais do que devia.

O protagonista principal da série acaba por ser novamente o Upside Down e todos os seus mistérios. Uma nova figura monstruosa assombra Will e todos os habitantes de Hawkins. E se no laboratório os cientistas pensam que o problema está contido, a verdade é que tal como um vírus, este mundo aprendeu como sobreviver e está mais perigoso. E se pensam que vamos obter mais respostas, pensem outra vez. A segunda temporada cria ainda mais perguntas uma vez que apresenta novos mistérios.

Stranger Things é uma série excelente com uma premissa interessante que é acompanhada por uma direção de fotografia genial, por uma realização brilhante e por uma edição excecional. A par disto tudo, a banda sonora complementa todas as outras qualidades que a série tem. Não há nada a ser exibido neste momento que se aproxime da qualidade desta série e além de prestar homenagem a tantas outras produções acaba ela por ser fruto de um merecido culto.

Artigos Relacionados

Siga o Quinto Canal nas redes sociais: