Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
Quinto Canal

Só Séries: O poder e humor feminino em «Glow»

Diferente do que a Netflix tem feito nos últimos tempos, esta semana no Só Séries destacamos a história da divertida comédia Glow.

Embora a ideia não fosse original, a Netflix decidiu apostar num “remake” da série criada nos anos 80 por David McLane, com o objetivo claro de mostrar que não só os projetos dotadas de grandes história têm os ingredientes certos para fazer sucesso. Despida de efeitos especiais dos quais nos habituou na grande maioria das séries presentes no seu catálogo, Glow mostra como é possível as mulheres também fazerem sucesso no mundo do wrestling.

.

Lançada em junho, mesmo a tempo de refrescar as noites quentes de verão, Glow conta a história ficcionada de Ruth Wilder, uma atriz desempregada, mas lutadora, que vive em Los Angeles na década de 1980 e encontra no mundo do wrestling feminino a sua derradeira hipótese de sucesso.

Além de 12 outras renegadas de Hollywood, Ruth tem ainda que competir com Debbie Eagan, uma antiga atriz de novelas que tinha deixado o trabalho para ser mãe, mas que é obrigada a regressar ao trabalho, quando a vida aparentemente perfeita afinal não é o que parece. Na liderança do grupo está Sam Sylviam, um realizador de filmes de segunda categoria que agora vai conduzir este grupo de mulheres no seu caminho para o estrelato do wrestling.

             Leia também: Só Séries: Qual é a fórmula de sucesso de «Riverdale»?

Tal como já dissemos, Glow não precisa de grandes efeitos especiais para cativar a atenção dos espetadores. Os cenários e o ambiente dos anos 80 onde se passa a série, a par dos figurinos usados pelos atores e da química existente entre todo o grupo, são motivos mais do que suficientes para aconselharmos vivamente a visualização desta série, garantindo também umas boas gargalhadas.

Composta por apenas 10 episódios, já é garantido também que em 2018 vamos contar com mais Gorgeous Ladies Of Wrestling.

PARTILHAR

SOBRE O AUTOR

No mundo da blogosfera desde 2007, sempre fui um admirador do mundo da televisão e não só, integrando a equipa do Quinto Canal 2013, assumindo o cargo de administrador desde 2014. Sou igualmente um apaixonado por música tendo já realizado as mais variadas coberturas musicais.