Televisão TVI

Segunda temporada de «MasterChef» pode não ir para o ar

Apesar de a primeira edição do formato conduzido por Manuel Luís Goucha ter sido um sucesso, o seu regresso em 2015 pode estar em risco. Tal como o 5º Canal avançou, muitos dos participantes do primeiro casting que decorreu no Estádio do Jamor acusaram a produção de alguns dos pratos terem sido previamente selecionados sem todos estarem avaliados.

O Correio da Manhã deste sábado espelha as críticas que surgiram nos castings. «As pessoas dizem que fizeram o papel de figurantes, e não pagos. Houve quem tenha tido custos de deslocação, estão indignados», referiu o advogado Tiago Cabanas que vai defender alguns dos 461 participantes que ficaram excluídos desta edição do programa da TVI.

Cátia, uma das candidatas, avançou com certezas que existiram «pessoas que conduziram durante horas para ter uma oportunidade e o prato nem sequer foi provado».

A produtora do formato defendeu-se e respondeu ao referido jornal que tem provas de que “todos os pratos foram avaliados” e “que todos assinaram um documento de cedência de imagem”.

Existem algumas consequências caso o processo vá para tribunal. «Há vários caminhos possíveis: uma providência cautelar para o programa não ir para o ar; por outro lado, podemos estar perante um processo crime, um caso de burla», admitiu Tiago Cabanas.

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados