Televisão TVI

Pedro Granger: «”Jardins Proibidos” acaba comigo emocionalmente»

Um dos protagonistas de Jardins Proibidos tem sofrido não só com o ritmo alucinante das gravações como igualmente com as emoções que a sua personagem exige em termos de representação. «Não tem sido fácil mas está a dar-me tanto gozo», começou por dizer à TV Guia desta semana.

Afinal, Pedro Granger já havia falado com a direção de programas da estação de Queluz de Baixo para ter um papel que não o desgastasse fisicamente, que lhe permitisse chegar a casa depois de um dia de trabalho de “cabeça limpa”. Infelizmente não tem sido possível conseguir tal proeza.

«Eu queria não passar os dias a chorar porque gostava de chegar ao fim do dia em bom, e não cansado física e emocionalmente. Mas realmente a história da novela é assim: a filha do Vasco está a morrer no hospital, ele acredita que a mulher dele o está a trair com outro, a avó está a deixar de lhe falar, a fábrica está destruída… é o desespero total. Está tudo a desmoronar-se… daí este cansaço. Eu acabo os das completamente esbardalhado. A novela acaba comigo emocionalmente», disse à publicação da Cofina.

Em jeito de confissão o também apresentador que já fez trabalhos para a RTP1  e para a SIC adiantou que a sua forma de descontrair ao sair das gravações é… ouvir músicas da Disney. «Eu gosto de levar o meu próprio carro para o trabalho e, quando regresso a casa, ponho as minhas músicas da Disney ou da Eurovisão – todos os meus colegas gozam comigo -, e é ao som dessas músicas que descontraio e descomprimo, depois de um dia pesado de trabalho», concluiu.

Outras Notícias