Televisão TVI

Fátima Lopes defende que o seu trabalho na TVI é muito diferente daquele que fazia na SIC

Cristina Ferreira Manuel luís Goucha Fátima Lopes

É dia de aniversário e, como tal, não se poderia deixar de falar de Fátima Lopes numa data tão especial para o terceiro canal. A verdade é que a apresentadora foi o rosto principal da estação de Carnaxide durante vários anos, contribuindo para o sucesso de programas como SIC 10 Horas, All You Need Is Love, Surprise Show ou Perdoa-me. Nesta semana, decidiu conversar com uma jornalista da Nova Gente e recuperar os motivos pelos quais a levaram a aceitar o convite da TVI.

Não me arrependo de ter mudado. Na TVI já tive oportunidade de fazer coisas que nunca tinha feito. Como os especiais ao domingo – nunca tinha ido para a rua fazer programas, nunca tinha sido júri, como no Canta Comigo… Mas também mudei porque encaro o meu trabalho de apresentadora como uma missão: servir o público! Tenho de o servir bem, ou não vale a pena. E na SIC não me estavam a dar condições para fazer os programas com a qualidade que eu achava que o público merecia. Hoje, apesar de parecer, o que faço é totalmente diferente. Tenho os meios que permitem fazer omoletes com ovos.

Prestes a comemorar 20 anos de carreira, Fátima Lopes assume que os seus objetivos a médio/longo prazo em televisão não se prendem apenas com o horário nobre. «Não é só no prime time que se faz o crescimento. As pessoas estão mais nervosas do que eu com isso. Estou tranquila, sei que o programa em horário nobre vai chegar um dia», concluiu à Nova Gente.

Outras Notícias