RTP Televisão

Conheça os concorrentes de «TOP Chef»

O novo programa da RTP, Top Chef, estreia dia 18 mas antes da estreia fique já a saber quem serão os concorrentes do novo concurso gastronómico da estação pública e conduzido por Sílvia Alberto. Abaixo conheça os nomes e rostos daqueles que querem ser o Top Chef Português.

Alexandre Silva – Tem 31 anos, é de Lisboa, e o seu último trabalho foi como chef de cozinha do restaurante Bocca. Segundo o próprio, o dia em que lhe ligaram a dizer que tinha sido escolhido para ser o chef deste restaurante foi um dos dias mais felizes da sua vida. Tem 12 anos de experiência como cozinheiro, e 6 como chef de cozinha. Já trabalhou como Formador de Cozinha na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa. Um dos seus mentores é Fausto Airold.

Carolina Columbano – Tem 20 anos, é recém-licenciada da ESHT de Douro-Lamego e vem do Peso da Régua. É cozinheira, mas ainda não está a trabalhar apesar de já ter estagiado no Hotel Cidnay, em Santo Tirso e no Hotel Vale D’El Rey and Village Resort, no Algarve. Na sua carreira, ambiciona promover a gastronomia portuguesa, ter um bom restaurante português no estrangeiro e claro… receber uma estrela Michelin.

Filipa Santos – Tem 26 anos, é natural de Armação de Pêra mas vive em Lisboa, e é Cozinheira no 1640 (em Santos). Anteriormente, estagiou na Tasca da Esquina e trabalhou na Cervejaria da Esquina e no Restô, apesar de não ter escola superior de cozinha ou formação na área. Se pudesse alterar alguma coisa na área da restauração, evitaria o erro de considerar a complexidade da confeção o mais importante: ‘Por vezes, o simples resulta melhor’. As suas referências culinárias são o chef Tiago Duarte, com quem trabalha no 1640, o chef Vitor Sobral, com quem trabalhou na Cervejaria da Esquina e Jamie Oliver.

Filipe Diniz – Tem 21 anos e é do Barreiro mas está a viver no Algarve, onde trabalha como cozinheiro no ‘Cais Velho’, em Albufeira. Estagiou com o Serge Vieira, premiado com duas estrelas Michelin. Uma das realizações mais importantes na sua vida, foi ter abandonado o curso de Engenharia Eletrotécnica, para seguir um sonho de pequeno e ingressar na ESTH de Lisboa, no curso de Gestão e Produção de Cozinha. Como mentor, refere o chef Luís Figueiredo, pela sua determinação, vontade de aprender e capacidade de resolver qualquer problema dentro de uma cozinha.

Frederico Guerreiro – Tem 33 anos, vive em Lisboa, e é chef de partida no ‘Pedro e o Lobo’ em Lisboa, sendo responsável pelos pratos de peixe. É licenciado em Psicologia, e mais tarde tirou o curso de Artes Culinárias e Gestão Hoteleira em ‘The Institute of Culinary Education’ em Manhattan, Nova Iorque. Uma das realizações mais importantes na sua carreira foi ter estagiado no Viajante, em Londres -1 estrela Michelin.

Hélder Martins – É natural de Lisboa mas vive em Palmela, tem 31 anos e tirou o Curso de Cozinha no CFPSA, no Algarve. Atualmente é o chef Executivo do restaurante ‘Viva Lisboa’, no Hotel Neya. Anteriormente passou por restaurantes como o ‘Ocean Club’ na Costa da Caparica, ou o ‘Hibiscus’ no Palmela Village Golf Resort. Uma das concretizações profissionais que gostaria de atingir seria a possibilidade de ter um restaurante próprio, sustentável, de grande qualidade e que integrasse uma escola de cozinha com cariz social.

Hugo Teixeira – Tem 26 anos, vive em Braga, e trabalha numa empresa de catering onde chefia toda a parte da cozinha dos eventos. Paralelamente, tem em curso um projeto para abrir um restaurante, que está em fase de remodelação. Em termos culinários, identifica-se mais com a cozinha de autor, criando novos pratos baseados nas memórias e recordações de infância. As suas referências são chefs como Gordon Ramsay, pela paixão que tem pela cozinha, e Joel Robuchon pela sua delicadeza e minuciosidade.

Igor Martinho – Tem 27 anos, é natural de Santarém, vive em Rio Maior, e foi chef Cozinheiro do Ano em 2009. Atualmente dá aulas na ESHT Estoril (a mesma escola onde tirou o curso), tem uma empresa de catering com a mãe -o projeto igormartinho.com- e está a restaurar um pequeno restaurante em Rio Maior, com o objetivo de o tornar num grande destino gastronómico. Trabalhou em restaurantes como Hemingway, em Cascais, Quinta de Frades no Lumiar ou o restaurante do Hotel Marriot, na Praia D’El Rey em Óbidos.

João Sá – Nasceu em Lisboa há 26 anos, tem 8 anos de experiência, 3 como Chef e atualmente trabalha no seu restaurante, o G-Spot, em Sintra. É jovem, mas tem uma carreira promissora e respeitada pelos chefs mais experientes. Já trabalhou no Hotel Sheraton do Porto e no 100 Maneiras, em Cascais. Frequentou a Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril. Tem grande admiração pelos chefs com quem já trabalhou: Jerónimo Ferreira, Vítor Claro ou Fausto Airoldi, entre outros.

Luis Mourão – Tem 48 anos, vem do Barreiro, e atualmente é o chef executivo do Hotel Convento do Espinheiro, em Évora. Como Chef, tem 18 anos de experiência e ganhou a ‘medalha de bronze’ nas Olimpíadas Culinárias em Erfurt, Alemanha 2000. Além de chef executivo e diretor de cozinhas e restaurante, também já foi formador de cozinha para o Turismo de Portugal. Já trabalhou como chef executivo no Sheraton e no restaurante ‘Bica do Sapato’. As suas referências na cozinha passam por nomes como Heston Blumenthal e René Redzepi.

Patrícia Tomé – Nasceu em Oeiras e tem 26 anos. É recém-formada do curso de Técnicas de Cozinha/Pastelaria na ESHT Lisboa e está neste momento a trabalhar como cozinheira no restaurante ‘O Século’. Estagiou no restaurante ‘Outro Rio’, no Jardim do Tabaco e no ‘Grande Real Villa Itália’ Hotel. Os seus chefs de referência são o chef Luís Baena, pela sensibilidade que deposita nos pratos que executa e o chef Vítor Sobral, pela valorização da cozinha portuguesa.

Rufino Santos –  Tem 30 anos, é natural de Torres Novas e vive em Lisboa, e criou o conceito de cozinha mediterrânica no Open Brasserie do Inspira Santa Marta. O seu último trabalho foi como Chef executivo na Famex, empresa que fornece o setor hoteleiro a nível de materiais. É especializado em pastelaria, cozinha italiana, cozinha tradicional portuguesa e serviço de buffets e à la carte. Tem admiração por chefs como Santi Santamaria e Ferran Adrià, pelo pensamento ‘out of the box’, e por Michel Bras, pela pureza e harmonia e por empratamentos maravilhosos.

Rui Martins – Tem 34 anos e vem de Vizela. Tem verdadeiro prazer em cozinhar pratos com produtos supostamente menos nobres, e com origens portuguesas, e torná-los em verdadeiras experiências gastronómicas. É grande apreciador da culinária portuguesa, e a sua tendência é a ‘tradição versus modernidade’. Trabalha como chef há 6 anos, tendo estado 2 anos numa empresa de catering e 4 anos no Templo da Gula. Profissionalmente, admira nomes como Leonel Pereira, pelo trabalho feito no restaurante Panorama, e Ferran Adrià, Alain Ducasse e Juan Maria Arzak.

Rui Rebelo – Nasceu há 33 anos em Lisboa e é cozinheiro. Tem alguns anos de experiência e já foi chef e proprietário do restaurante Paladar, na Calçada do Duque, durante 3 anos. A sua formação está distribuída por três países: Portugal, Espanha e Brasil. Começou o seu percurso em 1996 como barman de um bar no Bairro Alto. De seguida foi proprietário dos restaurantes Nú Prato, MF e Paladar (onde também foi chef). Em 2011 trabalhou como cozinheiro de 1.ª no Hotel Tróia Design (com o chef João Vieira) e no 100 Maneiras (com o chef Ljubomir Stanisic). Em 2012 exerceu a mesma função nos restaurantes Alkymia (com 1 estrela Michelin – chef Jordi Villa) e Abac (2 estrelas Michelin – chef Jordi Cruz), ambos em Barcelona.

Rui Sequeira – Vem de Faro, tem 20 anos e é cozinheiro estagiário no ‘Ocean’ em Vila Vita, restaurante que tem 2 estrelas Michelin. Durante o curso de Gestão e Produção de Cozinha, realizou um estágio curricular no restaurante de Serge Vieira, em França. As suas referências culinárias são Serge Vieira, Hans Neuner e Nuno Diniz.

Valentina Mendes – A Valentina tem 18 anos, é natural da Guiné-Bissau e trabalha no Tróia Design Hotel, desempenhando as funções de pasteleira e cozinheira com a responsabilidade de preparar a mise-en-place. Frequentou a escola do IEFP Seixal, onde se formou como Técnica de Cozinha e Pastelaria. Uma das maiores realizações profissionais da sua vida é o facto de ter acabado o curso e ter começado logo a trabalhar num hotel de 5 estrelas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não vai ser publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.