Televisão

Revista do Ano 2020: Os destaques de julho

Depois de um mês calmo, julho veio com toda a força, trazendo uma verdadeira revolução nos canais privados. Recorde agora esses destaques na nossa Revista do Ano.


Sem nada o fazer prever, julho veio a revelar-se, possivelmente, como o mês da revolução no que toca a 2020 na área da televisão. Sem nada o fazer prever, foi neste mês que Cristina Ferreira trocou a SIC pela TVI, regressando assim à casa que a viu nascer enquanto profissional. Com tal notícia, seguiram-se uma série de acontecimentos que viriam a ditar o resto do ano, em ambos os canais privados.

Com a saída de Cristina Ferreira e consequente fim de O Programa da Cristina, a SIC foi obrigado a intervir e a encontrar uma dupla de apresentadores para as suas manhãs, a par da criação de um novo formato, que foi pensado e construído em menos de 48 horas. Casa Feliz foi o resultado, assim como a dupla João Baião e Diana Chaves vieram trazer uma nova vida ao canal. Bruno Nogueira foi também destaque, ao ser uma das contratações do canal neste mês.

Diana Chaves João Baião SIC

Já do outro lado, enquanto a TVI recebia de braços abertos a sua “nova” apresentadora, aconteciam outras mudanças na sua estrutura: Nuno Santos passou a ser o diretor geral do canal, enquanto que foi também e julho que o canal avançou com o anúncio da nova temporada de Big Brother, intitulada de Duplo Impacto. Foi também em julho que Marco Horácio estreou um novo concurso no canal, o Boom!, a par também da série Betty: A Feia em Nova Iorque.

Julho foi ainda responsável pela passagem de Maria Botelho Moniz da SIC para a TVI, da saída atribulada de Leonor Poeiras do canal de Queluz, do final da primeira temporada da novela Nazaré na SIC, e ainda dos primeiros rumores que davam conta do regresso do aclamado Contra Informação. Das privadas para os canais temáticos, foi também neste mês que a SIC Notícias e a TVI24 deram a conhecer a decisão de terminar com todos os seus programas desportivos que contam com a presença de comentadores que representem os respetivos clubes de futebol dos “três grandes”.

Inerente às mexidas dos canais privados, a RTP manteve-se no seu canto e foi revelando alguns dos destaques da sua grelha de programação para a rentrée televisiva, de onde se destaca o fim do programa Prós e Contras, que fez companhia aos telespetadores de forma continua, ao longo de mais de 15 anos em antena.


E para si? Quais foram os momentos mais marcantes de 2020?

Outras Notícias