Geral Televisão

Júlio Magalhães critica a informação das estações generalistas

Está a gozar os últimos dias de férias, mas nem assim se esquece do seu trabalho. Júlio Magalhães não poderia estar mais satisfeito com o seu trabalho no Porto Canal, onde encontrou uma equipa motivada para fazer televisão: «Tem sido fantástico! Estou surpreendido pela positiva, porque julguei que ia ser mais difícil, mas encontrei muita gente habituada a fazer televisão, gente nova, a trabalhar e sempre disponível.»

Em relação à estação de Queluz de Baixo, onde deixou vários amigos, nomeadamente Marcelo Rebelo de Sousa, o jornalista confessou que essa etapa da sua carreira já foi encerrada. «Não há saudades da TVI. Deixei muitos amigos, dos quais tenho imensas saudades e vou falando com eles ao telefone. Porém, como estou muito entusiasmado com o projeto, acabei por não ter saudades algumas. Foi um ciclo, foram 12 anos, fechei e acabou, como quando saí da RTP e não tive saudades algumas. Agora, tenho a certeza de que vão ser uns anos muito bons no Porto Canal», adiantou.

O diretor-geral do canal do Norte criticou ainda a forma como a informação das estações generalistas é feita. Demasiado virada para o entretenimento, condicionando desta forma o trabalho dos jornalistas. «O problema dos profissionais da informação dos canais generalistas é que a informação é apenas um acerto de emissão. Os jornais da uma e das oito são feitos em função do que é o entretenimento da televisão. É evidente que são jornais de referência e momentos importantes no canal, mas estão ali sobretudo para acertar a emissão e, por isso, escasseia a motivação e a possibilidade de ter convidados, comentadores e gente a fazer reflexão, seja sobre o que for.

Júlio Magalhães vai mais longe, e apelida o trabalho dos seus colegas como uma simples apresenação de notícias da atualidade: «Eu até tinha o Marcelo Rebelo de Sousa. Se não tivesse, era um apresentor de telejornais como são os outros quatro ou cinco pivôs que se limitam a apresentar notícias, sem espaço de manobra.»

Será que o diretor-geral do Porto Canal vai ter resposta? Recorde-se que no passado Júlio Magalhães já havia criticado o os jornalistas da TVI por passarem demasiado tempo no Facebook.

Outras Notícias