Ficou conhecida por ser VJ da MTV ao lado de Diogo Dias durante vários anos. Luísa Barbosa deu a conhecer aos portugueses a música do momento e ajudou a difundir a imagem deste canal temático. Em 2011 aceitou o desafio da RTP para dar a cara pela quinta temporada do 5 para a Meia-Noite. Num estilo totalmente diferente, a apresentadora demonstrou a sua versatilidade, provando não ser apenas uma cara bonita da televisão portuguesa.

Depois desta experiência, chegou a vez de percorrer o país ao lado de João Baião para promover a iniciativa 7 Maravilhas – Praias de Portugal,  conciliando este trabalho com outro formato: Planeta Música.

Luísa Barbosa é um dos rostos que tem marcado a grelha de programação da RTP nos últimos tempos e promete ainda ter muito para dar.

Fique a conhecê-la um pouco melhor em mais uma entrevista exclusiva com a assinatura do 5º Canal!

[divide style=”2″]

I

Quem é a Luísa Barbosa?

É uma rapariga normal, que tem duas gatas e trabalha em televisão.

Como nasceu o teu gosto pela música?

Como nasce em toda a gente penso eu: a ouvir música. E talvez também a ver música, na MTV.

Quando eras mais nova, qual a profissão que sonhavas seguir?

Ui, tantas: professora, cantora, secretária…

II

Começaste como VJ da MTV. Como surgiu esta oportunidade?

A MTV Portugal organizou um VJ casting e eu participei e acabei por ser escolhida.

O que significou para ti este desafio?

Foi a melhor maneira possível de começar. A equipa era ótima, unia televisão e música e aprendi imenso.

No papel de Vídeo-Jockey tiveste a oportunidade de conhecer os mais diversos artistas nacionais e internacionais. Qual o que mais te marcou?

Refiro sempre a entrevista ao Dave Matthews, porque foi muito divertida, mas acho que quase todas tiveram algo de especial.

Trabalhar com o Diogo Dias foi fácil? 

Muito fácil. Sempre nos demos muito bem, o que facilita o trabalho, e ele sempre me ajudou, desde o primeiro dia.

Ao fim de cerca de quatro anos a trabalhar para a MTV sentiste que estava na altura de experimentar outras praias no mundo da televisão?

Sim, estava na altura de assumir outro desafio.

III

Em 2011 foste uma das caras da quinta temporada do 5 Para a Meia-Noite. Já acompanhavas o programa?

Sim, já era um formato que eu admirava.

Como surgiu este desafio?

Mais uma vez, foi feito um casting e eu fui escolhida.

Carla Vasconcelos, Luís Filipe Borges, Nilton e Pedro Fernandes foram os teus colegas nesta aventura. Foi fácil adaptares-te a um formato que já tinha uma ligação criada com os telespetadores?

Foi, antes de mais nada, uma grande responsabilidade, porque não queria desapontar os fãs. Mas estava tão entusiasmada com o facto de fazer parte do programa que encarei essa responsabilidade como algo natural.

Qual o balanço que fizeste desta experiência?

Muito positivo. Foi a forma ideal de dar o salto da MTV.

Apesar de tudo, nesta nova temporada do 5 Para a Meia-Noite a RTP optou por outros apresentadores para ocupar o teu lugar e o de Carla Vasconcelos. Alguma vez te foi dada alguma explicação para esta escolha?

Sim, claro. Foi uma aposta da RTP1 num formato apresentado por humoristas. Algo que já vem na linha do programa.

IV

Não integraste o elenco da sexta temporada deste talk-show, mas foi-te proposto logo um novo desafio. Planeta Música é a continuação do teu trabalho na MTV?

É a continuação do meu trabalho como apresentadora. Claro que a minha experiência enquanto VJ da MTV é muito útil, mas o que aprendi no 5 também.

Como tem sido a aceitação deste formato por parte do público?

Penso que tem sido boa. Quem gosta de música segue o programa, apesar de algumas dificuldades de horário.

V

Integrar a equipa das 7 Maravilhas – Praias de Portugal é um reconhecimento do teu trabalho pela RTP?

Acima de tudo, é uma aposta, penso que sim.

Fazes dupla com um dos apresentadores mais populares do país, João Baião. É uma grande responsabilidade?

Sim, mas também um privilégio. Neste meio aprende-se, essencialmente, com a experiência, e eu estou a aprender com o João, que tem sido um ótimo colega e professor.

O carinho que recebes do público que acompanha o teu trabalho faz-te crer que este é o caminho a seguir?

Tenho a sorte de fazer aquilo de que gosto. E assim quero continuar. Quando assim é, sentimos que foi a profissão que nos escolheu a nós, e não o contrário. O carinho do público acaba por ser uma confirmação disso mesmo.

VI

As audiências da RTP foram as que mais sofreram com a entrada da GfK no mercado, a atual empresa responsável pela medição audiométrica. Essa é uma pressão presente nos bastidores e redações da estação pública?

Não necessariamente com a GFK, porque sabemos que houve algumas dificuldades aquando da alteração, mas acima de tudo procuramos todos fazer um bom trabalho, algo que interesse ao público e de que nos possamos orgulhar.

Tens por hábito acompanhar as audiências dos programas que integras?

Por acaso não. De vez em quando talvez dê uma vista de olhos. Depende do projecto.

Existe algum novo projeto para o futuro? Se sim, qual?

Neste momento estou focada nas 7 Maravilhas e no Planeta Música, para além do conteúdo que apresento no canal Hollywood. Depois logo se verá.

Qual o género de programa que ainda não tenhas feito e que gostarias de conduzir na RTP?

Ui, tantos!! Mas esses ficam para a minha próxima reunião na RTP.

Um sonho em televisão?

Poder continuar a fazer aquilo que gosto.

Costumas acompanhar os sites e blogues sobre televisão? Se sim, tens algum preferido?

Neste momento tenho tanta informação na minha cabeça sobre praias que não ligo a mais nada.

Uma mensagem para os leitores do 5º Canal

Continuem a ver boa televisão!

[divide style=”2″]

Obrigado e boa sorte para o futuro!

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados