Canal ID aposta em «Shock Docs: The Devil Made Me Do It»

O Canal ID dá a conhecer o caso real que serviu de inspiração para a criação da saga de filmes de terror, The Conjuring.


 Tudo começou no verão de 1980, quando David Glatzel, de apenas 11 anos, foi ajudar a irmã mais velha, Debbie, e o namorado desta, Arne Johnson, nas mudanças para a casa que tinham acabado de alugar. Mas, assim que se mudaram, David viu um misterioso ‘homem fantasma’, que o aterrorizou. O fantasma acabou por se transformar depois em algo bem mais sinistro. O que começaram por ser pequenas manifestações inexplicáveis na casa como portas a fecharem, mesas a abanarem ou ruídos estranhos, evoluíram para ameaças, empurrões, arranhões e hematomas no corpo de David. O fantasma, que falava com a criança, ameaçou roubar-lhe a alma.

A família decidiu pedir ajuda no momento em que David começou a usar uma voz demoníaca e a ser arranhado por uma mão invisível. É aí que entram em cena os famosos demonólogos Ed e Lorraine Warren, que rapidamente concluíram que a criança estava possuída e precisava de um exorcismo.



Durante a cerimónia religiosa viveram-se momentos dramáticos e assustadores relatados pela família e pelos Warrens. David levitou e a certa altura parou mesmo de respirar. Foi também durante o exorcismo que Arne Johnson desafiou o demónio a deixar o corpo do menino e a entrar no seu. No final, David recuperou e não houve mais sinais do ‘homem fantasma’. O bem parecia ter vencido a batalha sobre o mal.

Mas, tal como nos filmes de terror, quando parece que tudo terminou bem há ainda tempo para um susto final. E foi o que aconteceu nesta história. Apesar das boas intenções de Arne Johnson o resultado do desafio àquela entidade maléfica foi catastrófico.
Cinco meses depois, após uma festa, Johnson envolveu-se numa discussão com o seu senhorio, Alan Bono, e esfaqueou-o até à morte. Mais tarde afirmou não se lembrar de nada do incidente. Terá Arne Johnson agido de acordo com seus próprios impulsos violentos? Ou estava possuído por um demónio?

Quando o caso chegou a tribunal não tinha nada para saltar à vista da imprensa, exceto quando a defesa evocou possessão demoníaca para justificar os atos de Johnson. Formou-se rapidamente uma avalanche mediática e o caso ganhou atenção internacional. Como crente, o advogado Martin Minnella tornou-se no primeiro advogado a tentar provar a existência do diabo. E pela primeira vez na história dos EUA, o diabo foi julgado e o mundo prendeu a respiração em antecipação nervosa.

Agora, 40 anos depois, o ID emite o documentário Shock Docs: The Devil Made Me Do It, com estreia a 10 de outubro, que conta os testemunhos impactantes daqueles que viveram na primeira pessoa este caso arrepiante, incluindo Arne Johson e Lorraine Warren.


André Kanas

http://www.facebook.com/andrekanas

Diretor e Gestor de conteúdos e redes sociais do QC | Responsável pelas coberturas musicais e televisivas do QC | Integrou o QC em 2013, estando integrado no mundos dos blogues e sites de entretenimento desde 2007.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *