Séries

«The Lady And The Dale» é a nova série documental da HBO Portugal

A nova série documental da HBO Portugal, The Lady And The Dale, é um dos primeiros destaques de fevereiro do serviço.


Produzida pelos irmãos Duplass, retrata a ascensão e queda da mulher de negócios transgénero, Elizabeth Carmichael, e do seu automóvel revolucionário, The Dale, e terá quatro episódios de emissão semanal. The Lady And The Dale é uma série documental de quatro partes, tendo estreia marcada para o dia 01 de fevereiro, e é dos produtores vencedores do Emmy, Mark and Jay Duplass, e realizada por Nick Cammilleri e Zackary Drucker, que conta a ousada história de Elizabeth Carmichael, uma empresária com uma história improvável e que ganhou fama durante a crise do petróleo de 1970, pela promoção de um veículo de três rodas com eficiência energética, conhecido como The Dale. Numa época em que três grandes fabricantes de automóveis americanos dominavam o negócio das estradas, Liz lançou um veículo futurista que prometia percorrer 40 quilómetros por litro de combustível.

O seu entusiasmo durante a promoção levou-a a um severo escrutínio público e dos meios de comunicação social, que revelou uma teia de mistério e suspeita sobre a tecnologia automóvel e o seu próprio passado. The Lady And The Dale é uma análise profunda da família e da identidade, através da ascensão e queda de uma mulher inovadora, destemida e astuta, extraordinariamente resistente e mãe dedicada.

Em 1974, durante a crise do petróleo no Médio Oriente, um carro novo e inovador prometia aos Estados Unidos alta quilometragem a um preço baixo. O seu design elegante de três rodas foi um prenúncio do que viria a acontecer a seguir. Por detrás do desenvolvimento e promoção de The Dale estava Elizabeth Carmichael, que antes disso tinha vivido uma vida de crime, fugindo às autoridades e criando um caos absurdo. Ela confessou ter trazido armas para Cuba durante a revolução e era procurada pelo FBI. Com várias ex-mulheres e filhos atrás dela, acabou por se casar com a sua alma gémea, Vivian Barrett. Ela e os seus cinco filhos viveram durante muitos anos a fugir da lei, quando Liz começou a sua transição em 1966. Como mulher na década de 1970, com um passado oculto e uma nova identidade de viúva com um diploma em administração, Liz Carmichael fundou a 20th Century Motor Car Company e fez nome num mundo corporativo dominado por homens. Liz Carmichael, especialista em marketing, disse que The Dale seria o carro mais importante desde o Ford T e que desafiaria o controlo rígido de Detroit sobre a indústria automobilística.

O interesse em The Dale intensificou-se, acelerado pelo facto de Carmichael elogiar a sua eficiência e segurança, mas também alimentado pelas práticas de negócios duvidosas da empresa. Com esse foco de atenção, surgiu um foco maior sobre a identidade e género de Liz. À medida que a atenção dos meios de comunicação aumentava e os investidores, frustrados, batiam com a porta, Carmichael foi presa por fraude e violações do código de negócios antes que The Dale pudesse chegar às ruas.

Esse julgamento foi um dos mais longos da história do tribunal criminal de Los Angeles, com foco tanto na identidade transgénero de Liz Carmichael como em The Dale. Representando-se a si própria no caso, Liz Carmichael desafiou os preconceitos da época, mas o mediatismo realçou todas as questões; Liz foi destaque nos meios de comunicação tanto pela pessoa que era como pelas suas práticas de negócios. O escrutínio da sua vida continuaria por décadas, mesmo quando tentava continuamente enganar quem a perseguia, focar-se na sua própria sobrevivência e manter a sua família unida.


Outras Notícias