Existe um formato de séries que deixa o espectador colado ao pequeno ecrã e que nos leva ao mais intimo que esta nos pode oferecer. As séries policiais são de tal forma viciantes que nos colocamos muitas vezes no lugar dos detetives e procuramos nós encontrar os suspeitos, analisar as provas e concluir a investigação. E os produtores de séries há muito que compreenderam que esse formato rende dinheiro pois existe uma panóplia de programas televisivos policiais.

Contudo, irei limitar o artigo da semana ao detetive mais famoso de sempre: Sherlock Holmes.

O filme que estreou em 2009 trouxe de volta não só Robert Downey Jr. mas também a admiração pela personagem e pela sua forma de ser um pouco ortodoxa.

No panorama televisivo temos então Sherlock e Elementary.

A primeira produção coube aos britânicos da BBC em 2010 e conta nos papéis principais com aparticipação de Benedict Cumberbatch (Holmes) e Martin Freeman (Watson). A história, acontece  no século XXI na Grã- Bretanha e aborda a relação dos dois amigos ao mesmo tempo que nos mostra as capacidades de raciocínio de Holmes, que se torna uma mais valia para resolver os casos misteriosos que a polícia por si não consegue desvendar. Holmes é um homem impulsivo, determinado, sem qualquer tipo de regras sociais e que quer tudo a sua vontade. Watson é de certa forma a sua metade mais calma que o tenta chamar a razão, entrando muitas vezes nos seus esquemas. Nesta série conseguimos colocar-nos muitas vezes no ponto de vista de Sherlock pois vemos os pormenores que o próprio está a ver, seguindo assuas dicas de observação ao mesmo tempo que assistimos ao seu espetacular raciocino. Como não poderia deixar de ser, sempre com uma boa dose de humor negro à mistura, não fosse esta uma produção britânica.

A segunda série é uma estreia desta Fall Season e vai passar no canal CBS. A trama, situada na América do século XXI, envolve Sherlock Holmes, interpretado por Jonny Lee Miller, eo  seu companheiro Watson, personagem esta que veio revolucionar toda a mística que envolve a saga do detetive. Holmes é uma senhora, interpretada por Lucy Liu, e só por aí espera-se que muitos dos comportamentos de Holmes se terão que ajustar um pouco ao facto de o seu ajudante ser uma mulher. Nesta história, Sherlock é um homem que sai de uma clínica de reabilitação e que se vê aos cuidados da Dr.ª Watson para evitar novas recaídas. Os dois vão ajudar a polícia na resolução dos crimes ao mesmo tempo que vamos conhecendo a vida daquelas personagens.

As duas séries fazem abordagens bastante interessantes à história de Sherlock Holmes e são uma lufada de ar fresco de tantos CSI que existem por aí. Contudo, não desfazendo Elementary cujo episódio piloto já circula na internet, acho mais convincentes e entusiasmantes as prestações dos atores britânicos. Sherlock tem uma aura muitos escura, muito intrigante enquanto que a produção americana se torna mais leviana. Mas claro, muito pouco ainda se pode dizer sobre algo que se vai desenvolver nos próximos meses. O meu conselho é ficarem atentos a Elementary. E espreitem Sherlock, pois as suas temporadas contemplam poucos episódios e são um deleite para os aficionados das séries policiais.

Outras Notícias