Inside Gaming Rubricas Videojogos

Inside Gaming: A saga de «Assassin’s Creed»

inside gaming

Esta semana irei abordar um título que muda a forma que cada pessoa que o joga vê o mundo que à sua volta. Estou a referir-me a Assassin’s Creed. Falem com quem falarem, qualquer jogador desta série após ter jogado alguns minutos, começa a ver edifícios de uma forma completamente diferente e a procurar automaticamente o melhor caminho para chegar até ao topo. É também um jogo que nos dá a impressão ser sermos capazes de andar pelas ruas a passar por cima de muros e telhados de casa, como se de um qualquer profissional de parkour nos tratássemos. Não aconselho que o façam no entanto!

O primeiro jogo desta saga de sucesso da Ubisoft saiu em 2007 e revolucionou a jogabilidade de muitos outros jogos que o sucederam. Num ambiente de mundo aberto, o parkour tornou-se a parte essencial deste título e uma das características que mais agrada aos fãs. Além disto, existe ainda uma grande componente de ficção histórica centrada na batalha entre assassinos e templários. Ao longo de todos os jogos já percorremos a Terceira Cruzada (1190), o Renascimento (1476), mais recentemente a Revolução Americana (1753), e futuramente iremos enveredar pelos mares e ilhas das caraíbas durante a era dourada da pirataria, no início do século XVIII.A personagem essencial para ligar todos os jogos da saga é Desmond Miles, que é raptado pela Abstergo – uma multinacional vista como empresa farmacêutica mas que serve de fachada para a ordem dos Templários desde 1937 – e ligado ao Animus, o programa informático que permite a Desmond reviver as aventuras dos seus antepassados: Altäir ibn-La’Ahad’s, Ezio Auditore, Ratonhnhaké:ton, mas podem tratá-lo por Connor, e futuramente Edward Kenway.

No primeiro título da saga ficamos a conhecer como Altäir descobre toda uma rede de templários infiltrados na Ordem dos Assassinos e após eliminar todos, torna-se o seu líder e conduz assim a ordem de novo para uma fase de secretismo. Neste primeiro título ficamos também a conhecer os poderes da Maça do Éden, pertencente à Primeira Civilização e o códex que Altäir escreveu para transmitir a sua mensagem às gerações futuras de assassinos. Este primeiro jogo em termos de jogabilidade foi o mais repetitivo e menos apelativo, mas foi o suficiente para dar nas vistas e começar a conquistar a sua legião de fãs.

assassin's creed I

E com o segundo título ficou provado que a série Assassin’s Creed tinha encontrado a sua fórmula de sucesso. Com a introdução de um novo assassino desta vez mais carismático, Ezio Auditore, exploramos cenários deslumbrantes por toda a Itália. Esta personagem foi tão importante para a saga que 3 dos já 5 títulos publicados, acompanharam a evolução de Ezio e da sua sede de vingança para com os Templários, responsáveis pela morte do seu pai e irmãos. Com o desenrolar da história conhecemos ainda várias figuras de relevância histórica, como é por exemplo o caso de Leonardo DaVinci, responsável pela criação de várias das armas de Ezio, e a família Borgia.

assassin's creed enzio

No título mais recentemente publicado (Assassin’s Creed III), acompanhamos a vida de Ratonhnhaké:ton, um indígena norte-americano que viveu durante a guerra civil e luta contra os colonos templários. Neste jogo acompanhamos as várias fases da vida de Connor (apelidado assim pelo seu mestre assassino) e o percurso que foi necessário percorrer até se tornar um membro da Ordem dos Assassinos. No meio da guerra entre americanos e ingleses, exploramos um mapa gigantesco em áreas como Nova Iorque, Boston e todos os campos circundantes.

assassin's creed III

Por fim, e com lançamento previsto para 29 de Outubro deste ano, temos Assassin’s Creed IV. Nele iremos ficar a conhecer a história de Edward Kenway – avô de Connor – um pirata pertencente à Ordem dos Assassinos. Já se sabe que iremos explorar três cidades principais, entre as quais Havana, Kingston e Nassau, e que a componente naval (inserida já no jogo anterior) vai ser muito maior. Mas este título certamente irá ser falado num artigo futuro.

assassin's creed black flag

Resta esperar para ver se este novo jogo irá continuar a corresponder às expectativas elevadas dos fãs da saga Assassin’s Creed e se conseguirá continuar a surpreender.

Já jogaram algum dos títulos desta série? Que expectativas têm para Assassin’s Creed IV?

Artigos Relacionados