Faltam apenas duas semanas para ficarmos a conhecer o vencedor da quinta temporada do Ídolos e, para isso acontecer, um dos atuais quatro finalistas teve de abandonar o concurso da SIC nesta noite. Oito temas foram cantados por André Cruz, Diogo Piçarra, João Santos e Mariana Domingues mas, infelizmente, houve uma estrela que não conseguiu brilhar tanto como os seus colegas.

Fique a conhecer a partir de agora neste Ídolos em Análise os principais comentários de Bárbara Guimarães, Manuel Moura dos Santos, Pedro Abrunhosa e Tony Carreira às atuações dos concorrentes, e ainda a avaliação geral que, semanalmente, está presente no 5º Canal!

[divide style=”2″]

Mariana Domigues

1ª atuação: I Will Survive Gloria Gaynor

«Eu vou dizer uma coisa que espero não ficar mal na fotografia: eu acho que tu, Mariana, és a vencedora do Ídolos. No entanto, esta canção foi das que eu menos gostei de te ouvir cantar neste programa.»

Tony Carreira

«Acho que fizeste um trabalho, para este nível, aceitável. Estiveste tensa. Soltaste-te pouco. A canção é muito difícil. Não te posso dizer que tenha ficado deslumbrado, mas também reconheço a dificuldade desta canção.»

Pedro Abrunhosa

2ª atuação: Sweet Dreams – Eurythmics

«Acho que, de alguma forma, te redimiste em relação à tua primeira prestação. Isto foi muito melhor. Estiveste mais próxima da versão do Marilyn Manson. Uma versão mais gótica, mais pesada. Mostraste uma Mariana que ainda não tinhamos visto. Gostei imenso de te ver. Foi uma belíssima interpretação.»

Manuel Moura dos Santos

«Estiveste muito melhor nesta interpretação do que na primeira. Adorei. Não imaginas o quanto eu gosto de te ver com esse teu lado mais agressivo, mais forte.»

Bárbara Guimarães

Avaliação geral:

Na semana passada foi bastante elogiada pelo júri do Ídolos. Neste domingo, voltou a repetir a dose na sua segunda prestação, destacando-se dos seus colegas. Para mim, esteve afinada, com garra, dando ao palco do talent-show da SIC uma outra energia. Tanto em I Will Survive como em Sweet Dreams, pareceu-me que a concorrente deu a conhecer uma veia diferente daquela que já tinha mostrado no concurso das noites de domingo do terceiro canal.

Foi um prazer ouvi-la!

[divide style=”2″]

André Cruz

1ª atuação: Eye of The Tiger – Survivor

«Eu acho que tu és de facto, para mim e de acordo com o meu gosto pessoal, o melhor cantor deste concurso. És muito expressivo a cantar. Estiveste muito bem.»

Manuel Moura dos Santos

«És um cantor muito eficaz. Esse teu lado teatral pode ser útil. Oxalá que mantenhas essa tua energia. Parabéns pela tua atuação!»

Pedro Abrunhosa

2ª atuação: Tears in Heaven – Eric Clapton

«Como interprete, estiveste indiscutivelmente à altura do desafio. Acho que existiram umas notas a mais que não eram necessárias nesta música. O final da canção foi a matar, foi fantástico. Tecnicamente muito bom.»

Tony Carreira

«Tu querias nesta música mostrar sentimento. Como o Manuel disse, esta é uma música de uma saudade imensa que nunca vai ser colmatada. Fizeste muito bem esta interpretação.»

Bárbara Guimarães

Avaliação geral:

Se, no primeiro tema, André Cruz foi bastante expressivo, em Tears in Heaven voltou a surpreender. Com o sentimento e dedicação que já nos habituou, o jovem cantor conseguiu captar a atenção de todos os que o ouviram. Afinado, não tenho dúvidas de que voltou a demonstrar qual a razão porque continua no talent-show da SIC.

Um dos melhores da noite!

[divide style=”2″]

Diogo Piçarra

1ª atuação: Hotel California – The Eagles

«Nunca cantas mal. Não consegues é sair desse registo. Falta sempre qualquer coisa. Fizeste uma prestação boa, mas continuo a achar que tens um registo monocórdico.»

Manuel Moura dos Santos

«Acho que estiveste realmente bem, e gosto principalmente do teu estilo. Estiveste magnífico nesta interpretação, até em termos visuais… aquela câmara! Espero que as pessoas vejam que és um belíssimo cantor.»

Bárbara Guimarães

2ª atuação: The Whole of the Moon – The Waterboys

«Estiveste fantástico. Tiveste uma presença de voz como nunca tiveste neste programa. Nesta canção, puxaste pelo lado da rouquidão que também é muito bonito. Foi, neste momento, a melhor atuação desta noite e a tua melhor interpretação no Ídolos

Tony Carreira

«Começaste sozinho com uma concepção ritmíca notável. Tocas guitarra muito bem. Valeram a pena todos os reparos que te foram feitos. Deste à música uma atitude intensa, a tal identidade artística que eu venho dizendo que tu tens, e que rompeu com aquele cânone que nós tinhamos de o “Diogo num registo intímo e interior”. Foi um dos melhores momentos do Ídolos da 5ª edição. Partiste a loiça toda!»

Pedro Abrunhosa

Avaliação geral:

Depois de semanas e semanas sem surpreender, posso confessar que de todas as interpretações de Diogo Piçarra, a deste domingo foi aquela que mais gostei. Tal como Bárbara Guimarães referiu, a própria ideia de colocar o jovem com uma câmara de filmar deu ainda mais força à sua atuação.

Finalmente Manuel Moura dos Santos se rendeu ao cantor, graças à interpretação de The Whole of The Moon. Foi, sem dúvida, um momento muito interessante! Diogo Piçarra revelou-se!

[divide style=”2″]

João Santos

1ª atuação: Light My Fire – The Doors

«Sabes o que me faltou nesta música? Tiveste pouca «pica» neste Fire. De qualquer forma, estiveste à altura João.»

Bárbara Guimarães

«És um tipo com carisma, e eu não dúvido que isso passe lá para casa. Senti que faltou um pouco de força na voz, e que cantaste a música com uma certa leveza. »

Tony Carreira

2ª atuação: Hit The Road Jack – Ray Charles

«Acho a tua versão muito engraçada. O arranjo foi fantástico, mas também mostrou uma coisa que em nenhuma das canções tinha sido tão evidente: as tuas insuficiências enquanto cantor. Faltou-te estar por cima do instrumental, seres um cantor de rock. De qualquer maneira, a versão foi gira.»

Manuel Moura dos Santos

«O Manuel disse praticamente tudo. Acho, sinceramente, que foi um belo momento.»

Pedro Abrunhosa

Avaliação geral:

Achei a primeira interpretação demasiado parada, sem força. Concordei com os comentários do júri. Faltou power, garra, presença em palco. Quanto à segunda atuação, numa versão mais rockeira, gostei da forma como João Santos cantou. Apesar disso, voltou a pecar no ritmo da música. Faltou velocidade e um maior dinamismo. Foi uma prestação diferente que, apesar de tudo, foi suficiente para agarrar o público do Ídolos.

[divide style=”2″]

Com os nervos à flor da pele, ficámos a saber nesta fala qual o top 3 da quinta temporada do Ídolos. Depois de ouvidos os quatro finalistas, cada um com dois temas distintos, o júri fez as suas avaliações, assim como os telespetadores. Os que votaram, em casa ou no estúdio, deram uma nova oportunidade a Mariana Domingues, André Cruz e a Diogo Piçarra.

João Santos acabou por ser o menos votado da noite. Assim sendo, despediu-se do talent-show da SIC com uma última interpretação no final desta oitava gala.

Para a semana, ficaremos a conhecer quais os 2 grandes finalistas deste formato! «André Cruz, Diogo Piçarra ou Mariana Domingues?», é esta a pergunta todos fazemos!

[divide style=”2″]

Até para a semana!

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados