Gira Discos – Passado Além Fronteiras: Mamonas Assassinas

Esta semana o nosso Gira Discos vai até ao Brasil, para recordar a carreira e os loucos êxitos da banda Mamomas Assassinas.

Possivelmente serão a banda com a carreira mais curta que iremos falar neste nosso espaço musical, mas merecem igualmente o nosso destaque porque mesmo com apenas sete meses de luzes de ribalta foi o suficiente para se tornarem um ícone da música brasileira para todo o sempre.

Ninguém esquecerá o estilo inconfundível dos Mamonas Assassinas, e mesmo quem nasceu depois da sua geração já ouviu garantidamente alguma das suas músicas.

mamonas-assassinas

Tudo começou em 1995, quando perceberam que a fórmula do sucesso seria a aposta em músicas com bastante paródia e humor à mistura, abandonando assim o desastre que eram como Utopia, onde o único disco lançado na época vendeu apenas 100 unidades. Já como Mamonas Assassinas deram-se inicialmente a conhecer com os êxitos  Pelados em Santos e Robocop Gay.

A partir daqui, nada voltaria a ser igual. Gravaram um único disco, com a EMI, a 23 de Junho de 1995 e no mesmo dia, logo após a apresentação na rádio do estrondoso êxito Vira Vira venderam 25 mil exemplares nas primeiras 12 horas de lançamento, tendo sido até ao momento a maior estreia de sempre de um álbum brasileiro e o álbum brasileiro mais vendido de sempre de toda a história.

Seguiram-se nos meses seguintes quase 200 concertos em apenas seis meses, com dias onde fazia cerca de dois ou três espetáculos. Esgotavam todos os recintos onde atuavam, e o cachet por cada concerto passou de oito mil para setenta mil reais, e em alguns chegou mesmo a ser de 100 mil. Com todo este sucesso a EMI também somou cerca de 80 milhões de reais com a venda do disco de estreia da banda.

[youtube id=”BJCYdqcvPpY” width=”620″ height=”360″]

Infelizmente, tudo chegou ao fim a 02 de março de 1996, com um acidente trágico de aviação onde todos os membros da banda morreram, quando o jacto em que viajavam chocou contra a Serra da Cantareira.

Para sempre ficará o legado e as músicas extravagantes de Dinho, Bento, Samuel, Sérgio e Júlio.

André Kanas

http://www.facebook.com/andrekanas

Diretor e Gestor de conteúdos e redes sociais do QC | Responsável pelas coberturas musicais e televisivas do QC | Integrou o QC em 2013, estando integrado no mundos dos blogues e sites de entretenimento desde 2007.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.