Boa noite, seja bem-vindo a mais uma edição do Esqueçeram-se de Mim. Esta semana, esta rubrica completa o seu primeiro mês de vida!

Zé Maria foi uma das personalidade mais cobiçadas de 2000. Há cerca de dez anos, participou no primeiro grande reality-show em Portugal, e viu a fama preencher-lhe a sua vida, quando, ganhou o famoso concurso da TVI.
Capa de inúmeras revistas, entrevistas a vários meios de comunicação e ainda vários autógrafos, foram estes os trabalhos que o natural de Barrancos teve, após a sua grande vitória.
Ninguém ficou a ele indiferente, e os portugueses quiseram vê-lo novamente na televisão portuguesa. A TVI não o desperdiçou, e lançou o programa Mulheres de A a Zé.
Até aqui, o mundo cor-de-rosa de Zé Maria correu bem. O problema veio depois. Foram apontados na imprensa vários problemas familiares, esgotamentos e problemas de saúde ao cozinheiro. Por outro lado, as várias especulações e mentiras a ele atríbuidas não devem lhe devem ter caído bem, como é normal. Posteriormente, o desemprego de Zé Maria foi a notícia do dia de várias revistas e jornais.
No entanto, e como atrás da tempestade vem a bonança, há dois ou três anos, o ex-concorrente do Big Brother regressou à televisão, e, mais propriamente, à SIC, onde teve no programa Fátima, um espaço de culinária.
A questão é: como é possível que, depois ser idolatrado se possa cair na miséria e posteriormente no esquecimento? Onde está o Zé Maria que venceu o concurso que marcou a minha vida quando tinha os meus oito ou nove anos? Onde está o concorrente da qual eu tinha inveja por estar lá dentro? À ingenuidade da minha idade, esquecia-me que a fama tem o seu lado negativo, e foi esse mesmo pormenor que se colou a Zé Maria.

span style=”font-family: ‘verdana’;”

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados