Boa noite, seja bem vindo a mais uma rubrica “Esqueceram-se de Mim”.

É uma conhecida actriz portuguesa, cuja carreira está repleta de história. Foi no dia 10 de Fevereiro de 1943 que nasceu Florbela Queirós, e nessa altura, mal se podia adivinhar na estrela que se viria a tornar.

A sua vida artística começou no teatro. Peças como O Pecado Mora ao Lado, Bate o Pé, Sol e Dó, Vamos Contar Mentiras, P’ra Frente Lisboa, levaram-na para as “bocas do mundo”. O cinema também fez parte da sua vida. A partir dos anos cinquenta, participou em vários filmes. Exemplo deles são O Noivo das Caldas, Pão, Amor e Totobola, A Canção de Saudade, Os Gatos Negros, Fado Corrido ou Um Campista em Apuros.Depois de ter participado na peça Passarele, em 1986, recebeu o prémio “Casa da Imprensa”. Posteriormente, e após uma longa pausa na sua carreira, entrou na série Pisca-Pisca, na novela Paz do Mundo e Todo o Tempo do Mundo. O sucesso continuou, e seguiram-se mais projectos: Reformado e Mal Pago, Médico de Família, Uma Avó dos Diabos, Nós os Ricos, entre outros.

Até ao final do século XX, a sua carreira foi recheada de vitórias. Obviamente que os “não” também surgiram, mas isso não a impediu de brilhar.
No entanto, a partir do ano 2000, os trabalhos começaram a diminuir. Os últimos que me lembro, foram na televisão foram e na SIC, com a partipação na extinta Tertúlia Cor-de-Rosa, no programa Fátima. Nele fez ainda umas rábulas, enquanto actriz.
Depois de anos sem parar, são agora raras as vezes em que ouvimos falar de Florbela Queirós. Secalhar, se não lhe mostrasse a fotografia, não saberia quem era esta senhora.
As questões que se põem são as seguintes: porque é que os actores mais velhos, com mais experiência, estão em desuso? Porque é que, o elenco da maior parte das novelas, é constítuido por jovens com uma curta carreira televisiva? Por serem mais baratos? Fará esta aposta sentido? Perguntas, cuja resposta é temida.

/p

Artigos Relacionados