Boa noite! Mais um sábado, mais uma edição da rubrica Esqueceram-se de Mim! Depois de, na semana passada, termos recordado Cristina Oliveira, Carlos Areia é o protagonista de hoje. Será que se esqueceram dele?

Nasceu em 1944, e desde cedo demonstrou as suas garras na representação. Participou nas mais variadas produções televisivas e, sem dúvida alguma, sempre ofereceu o seu melhor enquanto actor português. Aclamado por uns, criticado por outros, o certo é que desde o seu relacionamento com uma menor idade Carlos Areia foi esquecido por muitos. Sem nenhum projecto regular nos ecrãs nacionais desde o término da sua participação no talk-show As Tardes da Júlia, em 2009, parece-me que os directores de programas portugueses têm em conta a vida pessoal de um profissional. Afinal o que conta mais: a arte do bem representar, ou o facto de ter existido um relacionamento com uma rapariga ainda antes de esta completar os seus dezoito anos? As participações de Carlos Areia em Morangos com Açúcar, Aqui Não Há Quem Viva, Ana e os 7, Maré Alta, Anjo Selvagem ou Nós os Ricosnão serão suficientes para ultrapassar tal realidade?A verdade é que a televisão não dá tréguas. O “erro” de um actor, apresentador ou jornalista na sua vida pessoal, pode relegá-lo para segundo plano. De facto a fama não passa de um ápice de segundo na carreira de qualquer profissional. No caso de Carlos Areia, foi exactamente isso que aconteceu. Apesar de esporadicamente reaparecer em algum especial de televisão, os directores de programas das estações portuguesas parecem tê-lo esquecido. É caso para dizer que, por vezes, o nosso trabalho e empenho não são recompensados pelos que nos rodeiam. É pena, pois Carlos Areia merecia estar hoje presente no elenco de alguma novela ou série portuguesa.

Numa altura em que a SIC planeia ter duas novelas a gravar em simultâneo, porque não resgatar este actor para o remake de Roque Santeiro ou Tieta? Ou melhor, qual o motivo de não o seleccionar para o elenco de Família Mata? Fica a sugestão.

Artigos Relacionados