Como eu ouço Rubricas

Como eu ouço… a nostalgia dos 90’s (parte I)

Como Eu Ouço

E recordar é viver 

Durante esta semana gostaria de partilhar convosco alguns êxitos da década de noventa que marcaram o panorama musical. Muitos deles acabaram por se deixar sucumbir no tempo e desvanecer na nossa memória. No entanto, a musica tem o poder de nos transportar ao passado, de o cimentar e engrandecer.
Se alguns tiveram o privilégio de se abraçar a uma carreira que atravessa gerações, outros acabaram por ter o privilégio de conhecer o reconhecimento mundial para que de seguida se despedissem dele como se de uma boa memória se tratasse. Teria um sem número de temas que gostaria de vos recordar e, alheado a gostos musicais, irei proporcionar-vos um leque de opções que, mesmo que não vos agradem, terão feito parte de algum momento da vossa existência.
1 – Wandum Project – King of my castle 
Um dos êxitos de dança mais singulares de sempre, revelando um projecto à frente do seu tempo.
2 – Meja – All ‘bout the money 
Um caso de um refrão orelhudo que nunca se sumplantou e proporcionou mais à artista que o interpretou.
3 – Deee-lite – Groove is in the heart
O grupo acaba por ficar refém de um êxito tão grandioso que jamais poderia ser sucedido, mesmo que pelos seus próprios criadores.
4 – Lisa Loeb – Stay
Quando a composição chegava e um tema vivia de uma melodia ímpar e sincera.
5 – Bush – Letting the cables sleep
Assombroso e delicado. Quando a sensibilidade masculina se reflectia através de uma arte atormentada.
6 – Leah Andreone – It’s alright it’s ok
Uma voz única. Um single estrondoso que percorreu as rádios de todo o mundo, não tendo sido um argumento suficiente para que todos conhecessem o álbum Veiled. Uma peça de arte no que toca à composição e interpretação de uma artista descomplexada.
7 – TLC – No scrubs 
Quando o Pop era talhado de forma interessante e a melodia justificava a produção do tema.
8 – Moby – Why does my heart feel so bad?
Moby foi mestre na arte de misturar a electrónica com o mainstream, tendo inovado na produção de temas que chegaram às massas de forma atípica.
9 – Midge Ure – Breathe
Provavelmente um tema que chegou até nós através de um qualquer anúncio de televisão…e que nos inspira liberdade e contemplação.
10 – Meredith Brooks – Bitch
Honesta. Poderia ter repetido a proeza, mas não o fez.
11 – Everything but the girl – Missing
Sublime.
12 – Soul Asylum – Runaway Train
Quem nunca se atrasou?
13 – Lightouse Family – High(Forever you and me)
Uma voz serena que dispõe bem como paisagem de fundo.
14 – The Cardigans – Lovefool
Uma maneira divertida e feminina de ironizar o amor.
15 – The Corrs – Only When I sleep
Nos tempos áureos do grupo irlandês.
16 – Savage Garden – Truly, madly, deeply
Uma voz andrógina, um tema simples e inocente sobre amores utópicos.
17 – Smashing Pumpkins – 1979
Uma época feliz de tantos grupos que marcaram a adolescência da minha geração. Um dos melhore exemplos do que acabo de referir.
18 – Hanson – Mmmbop
Quando três irmãos decidem tocar três instrumentos e criar bandas sonoras para a adolescência de tantos de nós.
19 – The Cranberries – Linger
A voz inconfundível de Dolores O’Riordan.
20 – Republica – Ready to go
Um tema prometedor, uma vocalista irreverente..Nada mais do que isso.
To be continued… Não percam o próximo Como eu ouço…que eu também não!

Artigos Relacionados