Brasil Info TV

Desde há muito tempo que o panorama audiométrico tem mudado, quer seja devido à crise que os canais atravessam ou simplesmente porque a oferta dada aos telespectadores fica aquém das suas já elevadas exigências. Se em Portugal isso é evidente, já que o cabo é muitas das vezes o porto de abrigo dos que ainda vêem televisão, no Brasil começa a sê-lo agora. Prova disso é o crescente número de pessoas com acesso à internet, o que faz com que vejam os seus programas favoritos em multiplataformas, deixando para último a caixa que outrora já foi mágica e que juntava a família frente ao ecrã.

Uma das principais estações prejudicadas pela nova realidade brasileira é a Globo, líder incontestável há largos anos. Ainda assim e apesar das suas produções ficarem aquém dos números audiométricos de anos anteriores a estação consegue o suficiente para manter, sem grandes preocupações, a liderança. As grandes apostas na área da ficção passam agora por todos os horários, havendo um especial cuidado em todas as produções, já que umas ajudam as outras no IBOPE (sistema de medição de audiências). Em vez de uma canalização de recursos e meios para a principal novela, a das 21h, há agora uma preocupação maior em cativar o telespectador noutros horários. Um exemplo disso foi o reforço de autores de novelas da noite para o horário da tarde, bem como a abundância de novos estilos nos horários das 18h e 19h. Não quer dizer que tenha resultado, o que de fato se constatou, mas pelo menos mostra uma estação ativa e empenhada em manter a qualidade a que habituou os telespectadores.

Por cá nota-se uma preocupação na realização das novelas desde que a TVI deixou de ser a única a fazê-las, no entanto, noutros horários tal não acontece. A realidade mudou em ambos os países mas enquanto que um se preocupa em oferecer algo de novo, outro prossegue a fórmula já arrastada de fazer ficção. Espera-se em breve que tal mude, mas até lá, continuamos assim.

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados