Rubricas Só Séries

Arquivo Só Séries: «Skins» (2007)

Com mais de 10 anos de existência e muitas críticas mistas, mas na sua maioria bastante positivas, recordamos hoje no nosso Arquivo Só Séries a mítica história de Skins.


(Artigo originalmente escrito a 25 de janeiro de 2017)

Numa época em que as séries sobre adolescentes começaram a ser produzidas em grandes quantidades, Skins surgiu como um dos títulos mais originais e controversos, apresentando uma realidade da juventude britânica vivida no limite. Abordando tabus sem qualquer preconceito e procurando sempre o mais genuíno de cada história, Skins distingui-se pelas cenas de violência, sexo e linguagem imprópria. A verdade é que esta série marcou uma geração não só pela facilidade com que se falava sobre qualquer assunto mas também pelo teor verídico que muitas histórias tinham.

Skins

Geração 1

Tony, Sid, Michelle, Cassie, Jal, Chris, Maxxie, Anwar e a pequena Effy foram os protagonistas da primeira geração de Skins, composta pelas duas primeiras temporadas. Entre triângulos amorosos, problemas de droga, hábitos alimentares, ausência parental, religião e homossexualidade, os temas desta geração foram de tal forma bem retratos que esta é considerada a melhor época de Skins.

Geração 2

A segunda geração de Skins foi encabeçada por uma Effy mais velha ao lado de Pandora, Thomas, Cook, Freddie, JJ, Katie, Emily e Naomi. A terceira e quarta temporada mostraram ainda menos tabus e mais violência verbal e física. Não obstante, foi a geração que mais talentos produziu e as prestações individuais de cada ator trouxeram algo de novo à série.

GERAÇÃO 3

A terceira geração foi talvez aquela que mais tenha dividido os fãs, focando-se demasiado nos triângulos amorosos do que nas histórias em si. Franky, Alo, Rich, Mini, Liv, Grace, Nick, Matty e posteriormente Alex formam o grupo que protagonizou a quinta e sexta temporada de Skins. Apesar de a quinta ter tido um tom mais leve, a sexta temporada foi recheada de cenas de ação e violência e os atores estiveram longe da escola, contexto que marcou grande parte das temporadas anteriores.


Leia também: Arquivo Só Séries: «Ministério do Tempo» (2017)

A sétima temporada de Skins (Fire, Pure e Rise) foi protagonizada por Cassie, Effy e Cook alguns anos depois das suas respetivas histórias. Num contexto social diferente e mais velhos, os protagonistas enfrentaram novos desafios, mantendo sempre a dinâmica e o teor violento visto nas temporadas anteriores. Os criadores da série prendaram os fãs ao permitir a participação de outras personagens que marcaram as várias temporadas de Skins.

O canal MTV decidiu em 2017 fazer um remake da primeira temporada de Skins e apesar de as expetativas serem altas, a série desiludiu imenso. Além da fraca história e dinâmica de atores, a série obteve imensas críticas pelo seu teor sexual e os criadores acabaram por cancela a série, explicando que a mesma não se enquadrava no contexto social americano.

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados