Música

RFM Somnii 2019: As impressões do terceiro dia de festival

Com uma adesão de público mais baixa que nos dias anteriores, o RFM Somnii 2019 despediu-se com algumas surpresas ao longo do dia.

Foi já com um sentimento de nostalgia que decorreu o terceiro e último dia do RFM Somnii 2019. Mesmo com o sol mais tímido que nos restantes dias e com uma adesão do público ligeiramente mais fraca, não faltou na mesma a música e animação. Com as atuações a começarem perto das 15 horas, a primeira grande resposta do público fez-se apenas após as 18 horas, já com Jonas Blue no palco a aquecer todos os presentes.

Contudo, se no palco principal a festa já se fazia sentir, embora de forma tímida, foi no Palco BLITZ / SIC Radical que se deu a maior explosão de energia já ao final da tarde. O português Piruka foi sem dúvida o destaque desta zona do recinto ao longo dos três dias, tendo sido responsável pela maior enchente deste palco, chegando por momentos a ter mais público face ao que se encontrava em frente ao palco principal,  que se encontrava a ser preparado para receber Tyga.


Leia também: RFM Somnii 2019: As impressões do primeiro dia de festival

E foi com Tyga que o hip-hop se estreou no Palco RFM. Se no dia anterior o público explodiu com a atuação de Ozuna na estreia do reggaeton, o mesmo não se pode dizer da atuação do rapper no domingo que, embora calorosa, não foi o suficiente para despertar o público, que na sua grande maioria se encontrava já guardar lugar para a atuação que viria a seguir, com Don Diablo.

Três anos depois da sua estreia no RFM Somnii, Don Diablo não desiludiu e trouxe ao público português um set recheado de grandes êxitos, que colocou os fãs a dançar do início ao fim. Por diversas vezes que o DJ demonstrou o seu amor a Portugal, e claro que a euforia não se fez faltar nesses momento. Com o set mais longo de todos nesta edição do festival, o espetáculo terminou envolto num pequeno espetáculo de fogo de artifício, já com um sentimento de saudade e nostalgia. Third Party foram os últimos artistas internacionais a subirem a palco e, apesar de já contarem com uma plateia bem menos composta face a Don Diablo, deram toda a sua energia na sua estreia no festival.


Leia também: RFM Somnii 2019: As impressões do segundo dia de festival

A dupla portuguesa Rich e Mendes foi a responsável por encerrar como habitualmente o RFM Somnii 2019 com toda a sua força e energia, com a promessa de que, pelo menos até 2024, o festival se irá manter na Figueira da Foz.

Artigos Relacionados