Geral

Grupo Renascença e Lidl realizam a segunda edição do «Mais Ajuda» este Natal

As escolhas responsáveis dos clientes Lidl e dos ouvintes da Renascença, da RFM e da MEGA HITS vão voltar a contribuir para uma sociedade mais justa e equilibrada.

Neste Natal, por cada talão de compra com artigos Deluxe, gama exclusiva Lidl, os portugueses estarão a contribuir para apoiar projetos de inovação social dirigidos ao bem-estar dos idosos e à capacidade de gerar emprego – problemas sociais cada vez mais evidentes no contexto de pandemia. Está assim de volta o programa desenvolvido pelo Lidl Portugal e as rádios Renascença, RFM e Mega Hits, em parceria com a Beta-i, que desafia IPSSs e startups a desenvolverem projetos inovadores com impacto social, capazes de encontrar novas respostas para problemas sociais. No ano passado, o programa Mais Ajuda entregou 150 mil euros a 6 projetos diferenciadores de apoio à comunidade.

Com o objetivo de aumentar o contributo a estes projetos, os clientes Lidl e os ouvintes da Renascença, da RFM e da Mega Hits voltam a ser chamados a fazer escolhas responsáveis, este ano com uma temporalidade alargada. Entre 26 de outubro e 31 de dezembro de 2020, por cada talão de compras que inclua produtos da gama Deluxe, o Lidl contribuirá com 0,20€ para este programa, cujo valor acumulado será posteriormente entregue aos projetos vencedores. A seleção dos mesmos ficará a cargo de um júri especialista, com um percurso reconhecido na área da inovação, comunicação, empreendedorismo e impacto social, nomeadamente: Filipe Almeida – Presidente da Estrutura Portugal Inovação Social, Isabel Figueiredo – Adjunta do Presidente do Conselho de Gerência do Grupo Renascença Multimédia, Luís de Melo Jerónimo – Diretor dos Programas Gulbenkian Coesão e Integração Social e Gulbenkian Sustentabilidade da Fundação Calouste Gulbenkian, Pedro Rocha Vieira – CEO e Co-fundador da Beta-i e Vanessa Romeu – Diretora de Comunicação Corporativa do Lidl Portugal.

Nesta segunda edição, e tendo em conta os desafios atuais que o país atravessa, serão distinguidos um total de 10 projetos (5 IPSSs e 5 startups), aumentando-se assim o alcance da ajuda. Os projetos das IPSS, ou equiparadas, que venham a concorrer terão de ter como beneficiários uma franja muito fragilizada da população – os idosos -, que está significativamente enfraquecida com a pandemia; já as startups serão bonificadas na sua avaliação pela capacidade de geração de emprego, igualmente importante nos dias que correm. As candidaturas para participação abrem em janeiro de 2021, após o apuramento do valor final.

A primeira edição do programa Mais Ajuda foi de comprovado sucesso, tendo reunido mais de 700 candidaturas de projetos de inovação social, envolvendo os portugueses, que contribuíram para serem entregues 150 000 euros a três IPSS e três Startups. Os vencedores destacaram-se pelo seu impacto e abrangência nacional, assim como pelas suas respostas diferenciadoras a diversos problemas sociais, nomeadamente: uma ferramenta digital, em contexto terapêutico da fala, que permite rastreios precoces (Projeto Happies, da Pixelability); uma plataforma que junta migrantes e refugiados e apoia a aprendizagem de línguas (Speak); programas educativos para crianças permitindo que desenvolvam competência tecnológicas e intangíveis (The Inventors); a garantia da continuidade do processo educativo de crianças e jovens com cancro (Projeto Aprender Mais, da Acreditar); uma rede de proteção de crianças com base nas ligações dos seus telemóveis (Projeto Miúdos e Graúdos, da Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas) e um programa que promove as competências socio-educativas da população escolar das zonas rurais e isoladas (Projeto Mutualista com as Crianças, da Associação Mutualista Covilhanense).


  • Leia também:

Opto SIC ganha data oficial de lançamento

Outras Notícias