Entrevista – Sury Cunha

Ela começou a sua carreira alcançando de imediato um posto nunca antes atingido. De Portugal voou para o Brasil e conquistou os brasileiros com o seu jeito descontraído e despretensioso, tornando-se na primeira coleguinha portuguesa no emblemático programa da Globo, Caldeirão do Huck. Passou para a representação e agora ambiciona novos projetos. Apesar de tenra idade sabe o que quer e irá lutar por isso. Sury Cunha é a nossa entrevistada. Conheça-a.


 1. Em poucas palavras como se descreve? Quem é a Soraia?
A Sury é uma rapariga comunicativa, sociável, divertida, lutadora e sonhadora… quem é a Sury? A Sury é uma menina que sonhou muito estar onde está. É modelo e atriz, tornou-se conhecida ao participar no programa Caldeirão do Huck, na Globo e desde então pousou para diversas revistas masculinas. Atualmente participa na novela I love It, da TVI.

2. É manequim e atriz. Ser conhecida sempre foi um objetivo ou foi consequência do seu trabalho?
Foi consequência do meu trabalho sem dúvida. Tive uma relação de oito anos com o pai do meu filho e nunca me aproveitei disso, pois o meu valor tem que ser visto pelo meu próprio mérito…

3. Quando foi ao casting para o Caldeirão do Huck estava à espera de ser selecionada ou foi uma feliz coincidência?
Não, nunca pensei que pudesse ser eu a escolhida. Eram todas muito bonitas e na final fiquei com a belíssima Ana Varela, e pensei mesmo que fosse ela a selecionada. Para mim, ter chegado ate ali já era uma vitória para mim.

4. Algum dia imaginou que o trabalho como Coleguinha do Huck lhe mudaria tanto a vida?
Não. Foi uma experiência única e inesquecível, jamais pensei que o facto de entrar no Caldeirão me desse tanta visibilidade (um milhão de acessos na minha estreia) e me abrisse tantas portas lá.

5. É conhecida no Brasil por ter participado no Caldeirão do Huck
Acho que foi pelo facto do Caldeirão ser o programa mais visto no Brasil e por ter sido a primeira portuguesa a entrar no programa desde a existência do mesmo (12 anos no ar)

6. Participou num programa da Globo. Caso lhe propusessem um novo trabalho na estação aceitava?
Sem dúvida que sim! Na altura tinha contrato de 2 anos, mas infelizmente o visto de trabalho não saiu e o meu pai estava muito mal, acabando por falecer 2 meses depois da minha chegada…

7. Estreou-se como atriz em Portugal. Como surgiu a oportunidade de integrar o elenco de I Love It?
Numa tarde decidi ir a algumas produtoras, nomeadamente a Plural, e deixar o meu material de casting (fotos, curriculum e videobook). Passado uns dias ligaram-me a propor este desafio. Integrar o elenco da novela foi uma oportunidade que adorei, fiz muitas amizades e ganhei experiência também.

8. O que achou da experiência?
Foi algo de que eu estava à espera há muito tempo e da qual desfrutei ao máximo. Mas quero acreditar que foi uma rampa de lançamento. Gostava de ter uma personagem mais ativa numa próxima novela.

9. Pretende investir na carreira de atriz?
Sim, quero muito tirar um curso de atores, talvez agora com o Nicolau [Breyner] e nunca desistir.

10. Quais as suas ambições para o futuro? Continua a ter projetos?
Sim, mas na verdade eu adoraria ser apresentadora de entretenimento. O Fama Show seria o ideal. Acho que tenho jeito para a coisa…

11. É mãe. Pensa que pelo facto de ter um filho lhe serão fechadas algumas portas?
É mais complicado se for trabalhar para fora de Portugal pois tenho que o deixar cá mas, um dia ele vai crescer e vai perceber que tudo o que faço é por nós, para termos uma vida tranquila.

12. A fama por vezes traz coisas menos boas. Qual foi a pior coisa que já disseram sobre si?
Nem toda a gente é obrigada a gostar de nós, do nosso trabalho. Todos têm direito à sua opinião e por isso a única coisa que me magoou ler em revistas foi quando falaram do meu comportamento enquanto mãe. Acho que a vida pessoal não tem que interferir na vida profissional nem com o que somos enquanto profissionais.

13. Para alguns a Sury ficou conhecida no país devido à sua relação com o cantor Leandro, pai do seu filho. Acha que neste momento já é reconhecida somente pelo seu trabalho?
Eu acho que sempre fui reconhecida somente pelo meu trabalho pois a Sury Cunha surgiu depois de vir do Brasil e de algumas poses para revistas masculinas.

14. Ainda é nova. A vida traz altos e baixos. Tem medo de um dia cair no esquecimento?
Não. Adoraria vencer e conseguir o que sonhei mas se não for nesta área jamais baixarei os braços. Quando se tem um filho é nele que se pensa primeiro e quero-lhe dar uma boa vida seja em que trabalho for. Para mim ser atriz é um trabalho digno como tantos outros. É preciso gostar do que se faz apenas.

15. Paralelamente à vida conhecida nas revistas, tem outro trabalho. É uma salvaguarda?
Sim, desde os 16 anos que trabalho e este eu sei que é fixo e posso sempre contar com ele ao fim do mês…

16. Uma mensagem para os nossos leitores.
Desejo a todos os leitores que desfrutem bem a vida e lutem sempre pelos vossos sonhos. Não deixem de realizá-los para realizar os sonhos de outro alguém.


Obrigado!

 

Anselmo Oliveira

Licenciado em Educação Social pela Escola Superior de Educação e Ciências Sociais de Leiria, desde cedo apostou na internet e na divulgação de tudo o que passava no pequeno e grande ecrã. Depois de três anos à frente do Por Outro Olhar surgiu a hipótese de melhorar a oferta aos leitores a nível de conteúdos e com isto surgiu o Quinto Canal, onde se encontra atualmente.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *