RTP Uncategorized

«Festival da Canção»: Conheça a auditoria proposta e reações dos compositores

festival-da-cancao-logo

Foi no passado sábado que Suzy foi eleita para representar Portugal no Festival da Eurovisão, que se realiza em maio na Copenhaga, Dinamarca. O descontentamento pela escolha desta música não se fez tardar, e vários compositores já apontaram duras críticas à organização.

Desde o momento em que a música Eu Quero Ser Tua foi revelada como a vencedora do Festival da Canção, foram vários os protestos que se fizeram sentir, dando conta de que os votos foram manipulados, de forma a que Suzy saísse vencedora. A voz que mais se fez sentir nestes protestos foi a de Carlos Coelho.

O autor da música Mea Culpa, interpretada por Catarina Pereira, e apontada como a grande vencedora do Festival da Canção, afirma que o processo não foi transparente, desconfiando de que houve uma injeção de votos ilegal, que acabou por roubar a vitória a Catarina Pereira. Por isso mesmo, e em declaração ao Diário de Notícias, o autor disse ainda que já apresentou um pedido de auditoria às contas do televoto, para que todos as dúvidas sejam esclarecidas. Além do pedido à RTP, Carlos Coelho também apresentou queixa na EBU – European Broadcasting Union – responsável pela organização do Festival da Eurovisão.

Outros dos temas abordados pelo compositor sobre as irregularidades do concurso foi o facto de a música de Suzy passar a ser comercializada pela Sony Music a partir desta semana, quando pelas regras os direitos de promoção e divulgação das músicas pertencem todos à Eurovisão, até ao momento em que o evento termine, em maio.

Sobre o sucedido, também o compositor Jan Van Dijck, responsável pela música da finalista Zana, admitiu que recebeu no seu Facebook durante a tarde de sábado a informação de que Suzy seria a vencedora quando, supostamente, as votações só poderiam ser reveladas na final em direto.

Atuação de Suzy (à esq.) e de Catarina Pereira (à dir.)
Atuação de Suzy (à esq.) e de Catarina Pereira (à dir.)

Polémicas à parte, o autor Emanuel, responsável pela música vencedora Eu Quero Ser Tua, também já manifestou a sua opinião, afirmando que está de consciência tranquila, pois tem noção de que cumpriu todo o regulamento proposto pela organização, e que não teme a auditoria que possa ser feita ao televoto. Sobre o assunto o cantor disse ainda que a música de Suzy receberá uma nova versão para competir no Festival da Eurovisão e, caso o seu pedido seja aceite, será cantada em inglês e português.

Recorde-se que os protestos começaram quando os primeiros resultados foram revelados, dando conta de que ao longo da votação que decorreu durante toda a semana, a música Mea Culpa, de Catarina Pereira, ocupava o primeiro lugar, e a música Eu Quero Ser Tua era a menos votada, ocupando o último lugar. Posteriormente, quando foi aberta uma nova votação, em que o vencedor era eleito pelo maior número de votos conseguidos durante a final, a música Eu Quero Ser Tua acabou por ser a nova vencedora, provocando a revolta geral.

Os fãs do Festival continuam a mostrar-se indignados com tal decisão, que já deu origem a várias páginas no Facebook, e até mesmo a uma petição online a pedir que a música Mea Culpa seja a representante de Portugal na Eurovisão. Foi também marcado um protesto em frente aos estúdios da RTP para esta quarta-feira, 19 de março, a partir das 18H30.

A RTP até ao momento é a única entidade que não se pronunciou sobre o sucedido. Em contrapartida, revelou os resultados do televoto, que podem ser consultados clicando aqui.

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados