Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017
Quinto Canal

Só Séries: Top 5 séries LGBT

Junho é o mês escolhido pela comunidade LGBT para celebrar e, principalmente, reconhecer o impacto que várias pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgéneras tiveram na história tanto a nível nacional como internacional. Decidimos por isso apresentar o nosso top 5 de séries televisivas que tiveram grande destaque por apresentarem esta comunidade sem qualquer tabu.

O que era anteriormente apenas um festejo nos E.U.A. para celebrar os tumultos de Stonewall em Manhattan – que tiveram um forte impacto no movimento LGBT nesse país – tornou-se um fenómeno a nível internacional de grandes repercussões. E ao longo dos anos, assistiu-se a uma mudança de mentalidades também na televisão. Apesar de em muitos países ainda existirem muitas restrições, nota-se uma certa evolução da aceitação da comunidade LGBT, promovida em grande parte pelo cinema e televisão, que aos poucos foi quebrando preconceitos. Fiquem então com o nosso top 5 de séries LGBT:

1 – Sense8

Começo por esta simplesmente porque o seu cancelamento foi uma das notícias que mais abalou esta comunidade. Precisamente no início deste mês, foi anunciado que Sense8 não iria mais voltar, principalmente devido ao elevado custo de produção. A série da Netflix que veio revolucionar o panorama televisivo, acabou assim sem qualquer aviso prévio deixando os milhões de fãs por todo o mundo num desespero total. Além de apresentar a primeira atriz assumidamente transexual a representar uma personagem transexual, quebrou imensos tabus no que toca a relações e identidades sexuais, exibindo sem restrições cenas mais íntimas. O que agravou a notícia do seu cancelamento foi mesmo o facto de ter sido feita em Junho. Uma série que se auto assume como revolucionária acaba por terminar da forma mais medíocre possível.

2 – L Word

Uma série à frente do seu tempo mas que foi exibida no momento certo. É impossível negar que L Word é talvez a série com mais peso no panorama televisivo no que toca a representação LGBT. Apesar de ser focada principalmente num grupo de amigas lésbicas, apresentou ao longo dos anos várias personagens com várias identidades sexuais. E no que realmente a série impressionou foi a falta de tabus na representação de cenas mais íntimas. Numa altura onde era praticamente impossível imaginar ver um beijo entre duas personagens homossexuais, L Word foi mais longe. E apesar dos esforços para que a série fosse cancelada, ela prevaleceu durante 6 temporadas, o que representou a necessidade de ter algo tão revolucionário no momento.

E a verdade é que L Word mudou muitas mentalidades, o que permitiu a outras produções televisivas explorarem o tema sexualidade, inserindo aos poucos personagens que representassem a comunidade LGBT. Em 90% das séries atuais é possível encontrar um ou mais personagens LGBT.

3 – Queer as Folk

Exibida entre dezembro de 2000 e agosto de 2005 (terminando pouco antes de L Word começar), são poucos os que se lembram desta série mas é impossível negar-lhe a sua importância. A história focou-se em cinco homens homossexuais e num casal de lésbicas. Além de ser igualmente uma série à frente do seu tempo – especialmente pela quantidade de cenas com nudez – foi uma série que abordou principalmente personagens masculinas gays, o que até nos dias de hoje é alvo de um grande preconceito. A sociedade atual aceita mais facilmente um casal de lésbicas do que um casal de gays. E a verdade é que tanto Queer as Folk como Looking (2014/2015) sofreram imenso por abordarem relações entre homens.

4 – Glee

Sim leram bem, Glee. A série musical para adolescentes que fez sucesso nos últimos anos serviu de palco para personagens com várias identidades sexuais e teve uma importância única para a comunidade. Em grande parte das séries atuais as personagens LGBT são adultas, o que retira imenso o contexto da adolescência – fase complexa na vida de cada um, na qual se está mais propício a descobertas sexuais. E é precisamente aqui que entra Glee, apresentando várias personagens num âmbito mais jovem e a pressão que têm da sociedade e dos pais para serem aquilo que não são. Apesar do seu tom leve, Glee nunca suavizou nenhum dos dramas vividos pelos jovens LGBT e essas cenas foram talvez das mais fortes a nível emocional.

Leia também: Só Séries: 5ª temporada de «Orange is the New Black» terá sido um fracasso?
5 – Transparent

A série sensação da Amazon, que já ganhou o Golden Globe de Melhor Série, tem como foco uma personagem transexual o que causou um enorme impacto no panorama televisivo. Com três filhos já adultos, Mort decide assumir-se como transgénero e iniciar o processo de mudança de sexo masculino-feminino. Centrado num ambiente familiar, a série acaba por abordar muitos outros assuntos importantes para a comunidade LGBT. O facto de ser já uma série premiada mostra a maior aceitação destes tópicos em produções televisivas e Transparent é simplesmente uma lufada de ar fresco, tornando o panorama televisivo cada vez mais colorido.

Apesar de não se encontrarem na lista em cima, não posso deixar em branco a importância que Orange is the New Black, Lost Girl, Skins UK, Wentworth, The Fosters e Modern Family têm no seio da comunidade LGBT e pela forma como foram quebrando tabus ao longo dos anos. Muitas outras produções televisivas começam a ter pelo menos uma personagem que representa a comunidade, o que demonstra uma tendência positiva. Contudo, no ano passado existiram várias polémicas com mortes sem sentido de personagens LGBT, o que promoveu uma imagem negativa e virou muitos fãs contra as séries que seguiam semanalmente.

É importante que exista uma discussão saudável nestes assuntos na televisão e que exista uma representação real para que se faça justiça ao que a comunidade LGBT representa na sociedade atual. Muitos tabus já foram quebrados e muitos preconceitos diminuídos devido às séries mas o caminho ainda é longo e cabe a cada um de nós diariamente contribuir para uma sociedade justa e pacífica, aceitando cada qual como ele é.

PARTILHAR

SOBRE O AUTOR

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve, desde cedo adquiri um enorme interesse por séries. Tento ver um pouco de tudo e apresentar aqui no Quinto Canal o que se passa no panorama televisivo.