Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017
Quinto Canal

Só Séries: O que mudou em «Once Upon a Time»?

Once Upon a Time regressou ao pequeno ecrã depois da já habitual pausa durante a Summer Season. Após os percalços da saída de vários protagonistas, ficou no ar a questão de como seria a nova temporada e do que iria mudar.

Jennifer Morrison foi a primeira atriz a confirmar a sua saída de Once Upon a Time, tendo sido seguida por outros atores que compunham o núcleo principal do elenco da série. Os fãs ficaram desde logo apreensivos sobre o futuro da mesma e o que iria mudar, resposta essa dada logo no último episódio da sexta temporada. Caberia a Henry (interpretado agora por Andrew J. West) o protagonismo da série numa premissa muito semelhante à do primeiro episódio.

Henry, que se tornou ao longo das temporadas num Autor (podendo escrever as histórias das várias personagens), não tem qualquer memória da sua vida passada. Mas tudo muda quando a sua filha lhe bate à porta e lhe diz que existe uma maldição e que ele ttem que a quebrar, para poder voltar a escrever as suas histórias. Parece familiar?

once upon a time season 7

Aparentemente os criadores de Once Upon a Time acham que é uma ideia genial terem miúdos a bater à porta de supostos desconhecidos a dizerem que são filhos dessas pessoas. Mas se a coisa até correu bem da primeira vez, esta segunda parece demasiado forçada. O que não pareceu forçado e até foi engraçado de ver são as mudanças de algumas personagens que se mantiveram. Temos o caso de Hook, Rumpelstiltskin e Regina que vivem vidas totalmente novas, sem recordações do seu passado. Palmas para quem escreveu o guião do primeiro episódio e teve a inteligência de colocar Henry e Regina frente a frente com este a perguntar-lhe o que ela faria se ele dissesse que era filho dela. Um facto estranho é que apenas Henry parece ter envelhecido pois as outras personagens mantiveram-se iguais.

Leia também: Só Séries: Estará «Marvel’s Inhumans» no mesmo patamar que outras séries da Marvel?

O núcleo principal mudou obviamente e apresenta novos atores para personagens já mais ou menos conhecidas. Temos novas histórias da Cinderela (Dania Ramirez) – novo interesse romântico de Henry – e da sua madrasta Lady Tremaine/Victoria Belfrey (Gabrielle Anwar) – a nova vilã da história. O núcleo familiar é também composto por Drizella/Ivy Belfrey (Adelaide Kane) – irmã adotiva de Cinderela- e Lucy (Alison Fernandez) – filha do casal protagonista. Temos também uma nova Alice (que não é só de Wonderland) interpretada por Rose Reynolds e Tiana/Sabinee da história A Princesa e o Sapo, interpretada por Mekia Cox. Acredito que mais histórias serão apresentadas futuramente, pois é esperado o regresso de outros atores que fizeram parte das temporadas anteriores da série.

É que o principal desafio para os criadores de Once Upon a Time é manter a originalidade da série sem recorrer a histórias forçadas. E considerando que nas temporadas anteriores já abordaram um vasto leque de personagens dos contos de fadas, pouco ou quase nada resta para contar ou mudar. Aquilo que me cativou nesta série foi sempre o facto de alterar as histórias por nós já conhecidas, mantendo sempre a coerência temporada após temporada. O problema é quando se esgota a fonte…

Confesso que o primeiro episódio da nova temporada de Once Upon a Time me deixou com vontade de ver mais. Gosto da dinâmica deste novo elenco e das novas histórias das personagens que se mantiveram. Quero perceber até que ponto conseguem os criadores encontrar novas formas de contar mais histórias e manter a série com qualidade. É que apesar da lufada de ar fresco com o novo elenco, continua a ser mais do mesmo…

PARTILHAR

SOBRE O AUTOR

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve, desde cedo adquiri um enorme interesse por séries. Tento ver um pouco de tudo e apresentar aqui no Quinto Canal o que se passa no panorama televisivo.