Só Séries

Após longos meses de espera chegou finalmente a série sensação desta Fall Season, para regozijo de geeks, gamers, curiosos, aficionados ou pseudos. Gotham – ou como eu gosto de chamar a série sobre Batman, sem o Batman – poderia ser somente mais uma série sobre super-heróis mas é brilhantemente complexa e totalmente original.

Criada por Bruno Heller, numa produção da Warner Bros. Television, para o canal Fox, a história incide sobre o detetive James Gordon (Ben McKenzie) que é designado a ir para Gotham (cidade fictícia da história e que dá o nome à série) e fica encarregue do caso do assassino de Thomas e Martha Wayne. Em conjunto com o seu parceiro Harvey Bullock (Donal Logue), um detetive corrupto, eles entram numa luta contra o crime em Gotham, dominado por Fish Mooney (Jada Pinkett Smith) e Carmine Falcone (John Doman). Eventualmente, Gordon vai cruzar os caminhos de alguns criminosos conhecidos do mundo de Batman, dos quais se destacam Selina Kyle – Catwoman (Camren Bicondova), Edward Nygma – The Riddler (Cory Michael Smith) e Oswald Cobblepot – Penguin (Robin Lord Taylor). Determinado a descobrir quem matou os Wayne, Gordon acaba por se aproximar de Bruce – o ainda jovem Batman (David Mazouz) e a sua relação será crucial para o crescimento do mesmo e para a sua transformação no homem morcego – sem esquecer a importante presença de Alfred Pennyworth (Sean Pertwee), o mordomo e figura paterna de Bruce.

gotham

A história é interessante não só por se focar numa das principais personagens do universo de Batman e talvez um dos últimos homens honestos daquela cidade. Gordon é um bom polícia, com ideais e convicções fortes que procura proteger uma cidade que está imersa em crime. A sua tentativa de criar algo de bom naquele sítio é de louvar mas Gotham está a ficar sem salvação. O ponto mais brilhante desta nova série é que aprofunda imenso o contexto dos vilões do universo. Aqui podemos ver alguns dos vilões mais conhecidos ainda jovens e assistimos à sua transformação, ao invés de termos apenas o resultado final. Adorei a forma subtil como introduziram tanto a Catwoman como o The Riddler e estou curiosa para perceber mais das suas histórias. Entre tantos vilões que irão aparecer em futuros episódios existe um que está a criar imensa expectativa. Lembram-se no primeiro episódio, de um jovem que estava a entreter a Fish Mooney? Há rumores que indicam que era nem mais nem menos que o jovem The Joker, brilhante não é?

No geral o elenco está ao mesmo nível de qualidade, que apesar de não ser excelente, é realmente boa. Contudo, confesso que não sou fã do protagonista. Acho-o demasiado preso e demasiado mecânico. Falta ali algo para que cative. Por outro lado, adoro a Jada Pinkett Smith no seu papel de vilã. É terrivelmente assustadora e simpática ao mesmo tempo e representa com enorme brilhantismo, roubando as cenas onde aparece. O que acho mais curioso em relação ao elenco, são algumas escolhas de casting. Por exemplo, eu não consigo olhar para a pequena Catwoman e não pensar que ela é uma jovem Michelle Pfeiffer, que para os menos atentos, representou a mesma personagem. Ou até o próprio Bruce, faz lembrar Christian Bale, e o jovem Penguin, cuja caracterização remonta para Danny DeVito. Os atores que dão vida aos jovens vilões têm desempenhado os seus papéis muito bem, cientes da responsabilidade que têm entre mãos.

gotham

Os efeitos visuais são utilizados de forma subtil, principalmente para recriar uma cidade que não existe. Os cenários não são totalmente falsos mas denota-se o recurso ao computador na elaboração dos mesmos, apesar de muitos efeitos nos passarem despercebidos. Gosto do tom escuro da série, que lhe confere muito mais impacto emotivo, e do movimento da câmara nas cenas de ação, dando mais adrenalina à cena em si e criando o mesmo no espectador. No geral o trabalho de câmara está excelente e são apresentados planos muito bem construídos e interessantes. A banda sonora está igualmente bem escolhida, sem recorrer a nenhuma música pop ou semelhante (como se vê nas outras séries sobre super-heróis). Composta por música de orquestra, este fator é igualmente importante para dar profundidade à série e lhe conferir um patamar acima.

Gotham é uma série sobre o universo de um super-herói mas o único herói presente tem uma missão impossível para salvar a cidade. Complexa e cativante, Gotham já tem um lugar na história das produções televisivas e será realmente importante para definir o que vem aí. Chega de Super-Homen, Arqueiro Verde ou Flash. Está na hora de os vilões tomarem conta da televisão!

[youtube id=”0d1zpt6k5OI” width=”620″ height=”360″]

Artigos Relacionados

Siga o Quinto Canal nas redes sociais: