K Filme Rubricas

K Filme: Pixar – 1 Universo, 15 Filmes

Pixar

Para celebrar o dia da criança, o K Filme teria que ser um pouco mais animado. Não no sentido de “Viva, que alegria!” mas porque hoje vos trago um especial Pixar.

A Pixar é uma empresa de animação digital que pertence à Walt Disney e que carrega consigo 19 Óscares da Academia, 8 Globos de Ouro, 11 Grammy Awards, e tantos mais prémios pelos seus filmes ao longo dos anos.

Para além dos filmes serem excecionais e tantos deles terem um lugar especial no coração da nossa criança interior, estes filmes têm muito mais do que aquilo que vemos a olho nu. A Pixar é nada mais nada menos do que 1 só Universo em 15 Filmes. “Como assim?” – perguntam vocês. A verdade é que todos os filmes se interligam nos mais pequenos pormenores, de maneira a dar forma a um só universo: Pixar – 1 Universo, 15 Filmes.

via GIPHY

Assim sendo, hoje vou levar-vos numa viagem, por alguns conhecida como a Teoria da Pixar! Irei também relembrar-vos destes tão fantásticos filmes e apresentar um lado um pouco mais adulto destas obras. Esta é também a ocasião perfeita para um fim de semana de maratona.

Atenção, este artigo pode conter Spoilers.

Ordem Cronológica – Panorama Espaço/Tempo

O primeiro filme da companhia foi Toy Story, contudo não é onde começa a nossa aventura. Na imagem abaixo está a ordem cronológica da criação do universo da Pixar

Parece confuso, e de facto é, mas tentarei explicar da melhor forma o porquê desta ordem cronológica bem como as datas indicadas nas imagens.

Brave

A narração do universo da Pixar começa com Brave, no século XIV/XV, o que faz todo o sentido visto que é o filme da Pixar a passar-se num cenário mais antigo, na Escócia da Idade Média. Aqui, Merida descobre os Will-O-Whisps, as pequenas chamas azuis que a levam a encontrar uma resposta para o seu problema. Esta magia que é descoberta, transforma a sua mãe num urso e é também a razão para animais e objetos inanimados terem consciência e agirem como humanos.

Neste processo, Merida encontra uma bruxa misteriosa, com uma enorme paixão por ursos e cujo método de transporte são portas de madeira que desaparecem imediatamente sem deixar rasto, o que muitas vezes nos faz acreditar que ela pode até mesmo nem ser real. Lembrem-se desta bruxa, porque vamos voltar a ela.

Incredibles – Super Humanos e I.A

Chegamos ao século XX, mais propriamente a 1950. O mundo mudou imenso e a ordem foi mantida pelos Super-Heróis. Estes existem porque a humanidade descobriu uma maneira de aproveitar a “energia” humana e assim desenvolver super humanos. Neste filme vemos uma quantidade de invenções fantástica, criadas pelo vilão – Syndrome. Estas criações controlam a matéria e são o início da revolução da inteligência artificial. Para além de tudo isto, esta revolução industrial é o início da empresa BNL. Lembram-se deste nome? Não? Então já aí voltamos.

via GIPHY

Toy Story – BNL

A BNL (Buy N Large), entrou no negócio de fabrico de brinquedos e devido ao avanços tecnológicos introduzidos por Syndrome, os brinquedos começam a mostrar os primeiros sinais de vida. Estes brinquedos descobrem que sobrevivem à base da energia das crianças, mais propriamente do amor. Sabemos que é a BNL que está por detrás disto, e de muitas outras coisas neste universo, uma vez que é uma empresa presente na maioria dos filmes. É igualmente a criadora da unidade Wall-E. Em Toy Story, aparece nas pilhas de Buzz Lightyear e na carrinha de transporte numa das cenas do filme.

Objetos (in)animados

A importância de Toy Story é fulcral nesta teoria. Em Toy Story 2 , os brinquedos apercebem-se que ao estarem longe dos humanos se tornam mais negativos, como Jesse, que está ressentida com a sua antiga dona por tê-la abandonado. Vemos que não só os brinquedos, mas também os animais sofrem com estes sentimentos negativos, o que os muda. A verdade, é que isto é de partir o coração e todos nós abraçamos os nossos peluches com um pouco mais força depois de vermos estes filmes.

No Fundo do Mar

Foi no fundo do mar que os animais primeiramente começaram a ganhar consciência, o que nos remete para Finding Nemo. Os peixes são incrivelmente avançados e parecidos connosco, têm escolas, meios de transporte, culturas e amizades. Em Finding Nemo descobrimos também que os humanos estão a poluir o mar e a levar os peixes, tanto como animais domésticos como para experiências. Dory foi um dos peixes a sofrer estas experiências, vivendo rodeada de humanos, pois ela sabe ler e aprendeu outras línguas como baleiês. Mas nem tudo são rosas e as experiências feitas à nossa amiga levaram-na a ter o grande problema de falta de memória.

Ratatouille

Nojento? Não, adorável! Remy conquistou os nossos corações e barrigas, com receitas maravilhosas e um focinho fofinho. Este rato demonstrou um monte de características humanas, como cozinhar, andar apenas nas patas traseiras e até mesmo lavar as mãos. Para além de mais, em Ratatouille, vemos a primeira verdadeira interação entre animais e humanos.

via GIPHY

Toy Story 3 – O Início da Revolução

Três anos depois da ação do primeiro filme, notamos que os brinquedos estão cansados de serem abusados física e mentalmente pelos humanos, como Lotso – The Huggin’ Bear, que simplesmente odeia todos os humanos. Lotso começa a tomar conta da sua espécie, o que nos dá mais uma razão para acreditarmos que os objetos e máquinas estão prontos para tomar conta do nosso mundo.

UP!

Carl, um velhote reformado, é obrigado a deixar a sua casa, porque a empresa BNL está a expandir a cidade. Esta empresa já começa a ser a condenação do nosso planeta, devido à poluição e extrema investigação científica.

Carl, descobre uma ilha com criaturas estranhas e cães que conseguem comunicar com os humanos a partir de coleiras. Vemos que alguns destes cães ressentem os humanos pelas condições de escravatura e talvez este seja o derradeiro sinal da guerra que estaria para vir.

via GIPHY

Cars – O Fim dos Humanos

Cars passa-se nos anos 2100/2200, depois dos animais se revoltarem contra os humanos em prol de pararem a poluição. Contudo, as máquinas salvaram os humanos e eles ganharam. Uma vez que a fauna e flora do mundo estava praticamente aniquilada, o que fez a terra ser inabitável, BNL enviou os humanos para o espaço na nave Axiom (vemos esta nave em Wall-E), deixando apenas as máquinas a governar a Terra. Em Cars vemos os carros a terem as funções dos seus antigos donos e a fazer as suas vidas como os seus donos faziam.

Em Cars 2, os carros viajam para o Japão e para a Europa, portanto sabemos que tudo se passa no nosso planeta e que de facto não há humanos nenhuns em parte alguma.


Leia também: K Filme: «Deadpool» – O Melhor dos Piores

Wall-E – 2800/2900

Estamos quase no fim da linha, a Terra está inabitável por centenas de anos por causa da BNL. Os humanos estão segregados em sondas espaciais e a única coisa que sobra no planeta Terra é o Wall-E, o último da sua unidade. Ele sobreviveu graças à sua paixão pelos humanos e as suas culturas, como também a sua melhor amiga, uma barata. Os outros robots que se encontram na nave Axiom demonstram ter desenvolvido um sentimento de propósito por efeito da dependência dos humanos para com as máquinas.

via GIPHY

Wall-E e Eve salvam os humanos e começam a repopular a Terra novamente começando com apenas uma pequena plantinha, que vemos nos pós-créditos transformar-se numa linda e robusta árvore.

A Bug’s Life

Aposto que se tinham esquecido deste! Aquela planta que vimos crescer em Wall-E é na verdade a mesma planta que vemos em A Bug’s Life. A esperança média de vida de uma formiga é de 3 semanas, mais ou menos, mas não aqui. Depois da repopulação da terra, os insetos estão mais fortes, mais inteligentes e vivem mais tempo. Sabemos que já existem outros animais, como cobras, pássaros e insectos de porte maior. Os humanos são muito poucos ainda na terra e os insetos serão eventualmente a raça dominante no planeta Terra.

via GIPHY

Monsters, Inc.

A última, e de alguma forma, primeira etapa desta viagem culmina em Monsters, Inc. e Monsters University. Centenas de anos depois do Wall-E, os animais sofrem mutações devido à radiação. Causada por quem? Adivinharam, BNL. Estes animais evoluem para monstros e acidentalmente eliminam os humanos da face da Terra.

A Universidade dos monstros foi fundada em 1313, mas sabemos que esta data não corresponde ao nosso calendário, mas sim, segundo o website da Pixar, 1400 anos depois de A Bug’s Life. Nesta universidade, os monstros foram falsamente ensinados que os humanos são tóxicos e que vivem noutra dimensão.

via GIPHY

Anos mais tarde Mike e Sulley trabalham na empresa de energia, onde usam portas para voltar ao passado às gerações onde ainda existiam humanos, e assim trazer energia para a sua espécie continuar a sobreviver.

Tudo isto nos leva até Boo.

via GIPHY

Boo

A pequena e adorável Boo é o centro de toda a teoria. Nunca tendo ultrapassado o facto de nunca mais voltar a ver o seu melhor amigo Sulley e obcecada por entender o que lhe tinha acontecido, ela sabia que as portas eram a forma de o encontrar. Mais tarde na sua vida, ela aprendeu tudo sobre viagens no tempo e através de portas de madeira, regressa à fonte de toda a magia os will-o-whips. Assim voltamos a vê-la em Brave, sendo ela a bruxa com a enorme paixão por ursos. Para Boo, Sulley era um urso, não o reconhecendo como um monstro mutado.

Apesar de Boo saber viajar no tempo, ela não sabe exatamente a que período da história ela irá parar, então especula-se que seja Boo a deixar todos os easter eggs nos filmes da Pixar. É ela quem tem saltitado em todas as timelines e períodos da história do universo.

Coco

Por último, gostaria de incluir o mais recente filme da Pixar – Coco. Este, originalmente,  ainda não faz parte da teoria em si. Ainda assim os fãs especulam que este seja o inicio de uma nova fação do universo juntamente com Inside Out, explicando como é que funciona de facto a fonte de energia dos humanos, e em Coco, como esta se transporta para o mundo dos mortos, bem como a importância da música.

via GIPHY

Artigos Relacionados

Siga o Quinto Canal nas redes sociais: