Cinema K Filme Rubricas

K Filme: Conheça «Annabelle», a tão aguardada spin-off de «The Conjuring»

Já a pensar no famoso Halloween, que se comemora no final deste mês, os cinemas vão-se enchendo aos poucos de grandes filmes dedicados ao terror e ao suspense, de forma a cativar os espetadores para esta época festiva.

Depois da estreia de Drácula na passada quinta-feira, esta semana o destaque do Quinto Canal centra-se na reencarnação do espírito do mal nas tradicionais bonecas de brincar, com um dos filmes mais aguardados baseado em The Conjuring, lançado o ano passado.

Fique a conhecer de seguida no K Filme a história de Annabelle.

Na opinião pessoal desta semana a cargo do Tiago Ricardo, conheça o filme O Caminho Entre o Bem e o Mal.

Annabelle

Título: Annabelle (Annabelle)

Ano: 2014

Género: Terror

Duração: 98 minutos

Nota IMDB: 6,1/10

Realização: John R. Leonetti

Elenco: Alfre Woodard, Annabelle Wallis, Eric Ladin, Michelle Romano, Tony Amendola, Ward Horton

Sinopse: Após ter aparecido pontualmente em The Conjuring, o realizador John R. Leonetti decidiu pegar na famosa boneca Annabelle, e criar um filme especial em torno da história desta boneca, mesmo antes de ter aparecido no filme lançado em 2013. Ao longo da película ficarão a conhecer John Form, que acredita ter encontrado a prenda perfeita para oferecer à sua esposa Mia, que está grávida, e faz coleção de bonecas. E é assim que surge Annabelle, uma boneca que usa um vestido de noiva branco, e que é assim oferecida por John a Mia. Mas a felicidade do casal será posta à prova e não durará muito, pois a boneca começa a atrair membros e espíritos do mal, que acabam por os atacar.

Um filme recheado de suspense e de terror, que promete fazer as delícias dos mais destemidos. Tem estreia marcada para esta quinta-feira e, a título de curiosidade, é o segundo filme mais visto da semana nos Estados Unidos com uma pequena de diferença de algumas dezenas de dólares do primeiro lugar, ocupado por Gone Girl. Fica também a informação de que o segundo capítulo de The Conjuring será lançado em 2015 nos cinemas.

A OPINIÃO DE TIAGO RICARDO: O Caminho Entre o Bem e o Mal

O Caminho entre o Bem e o Mal marca o regresso de Liam Neeson ao cinema numa viagem misteriosa e intrigante como um detective privado que procura descobrir os responsáveis por uma série de crimes que envolvem dealers e os seus familiares e amantes. Para aqueles que gostam de filmes como Taken e histórias sobre crimes e investigação, o filme tem todo o potencial para agradar. É violento, misterioso, intrigante e a performance obscura de Liam Neeson é uma óptima razão para vê-lo mas será que no fim vale a pena? Para responder a esta pergunta convido-vos a ler a minha crítica.
Matt Scudder (Liam Neeson) tem o típico historial de um polícia/detective nos filmes… Viciado no álcool e atormentado por uma reforma atribulada. O prólogo é basicamente a história do dia em que ele abandona a polícia e representa a sua descida para o lado negro. O desenvolvimento da personagem é interessante porque Matt torna-se num detective apreensivo e obscuro, acabando por se tornar numa espécie de justiceiro que tira proveito do seu conhecimento como polícia nos seus trabalhos. Os momentos em que contacta directamente com os vilões são intensos e trazem ao de cima as memórias de Taken e é também de dastacar o momento decisivo em que Matt deixa de fazer o que faz por dinheiro e passa a fazê-lo por ser a coisa certa. No meio da investigação, Matt conhece TJ, um miúdo simpático, abandonado pela família, que vai fazer tudo para ajudá-lo. A relação entre ambos representa um lado familiar e amigo de Matt que contrasta com a atmosfera negra que carrega constantemente. Relativamente aos vilões, os crimes que cometem são marcantes e capazes de ferir de alguma forma a susceptibilidade dos espectadores, optando por mutilar as vítimas durante os raptos. O historial de ambos é um detalhe interessante e no final ambas as performances foram no geral de boa qualidade.
Quanto à história, o prólogo é interessante e a relação entre as drogas e o álcool e o lado negro da vida de Matt torna-se num bom side-plot da história. Antes do final, existe um grande momento de ação que consegue deixar o espetador agarrado à cadeira com toda a tensão apresentada. Durante grande parte do tempo, a história é misteriosa e o ritmo mantém-se constante sem grandes momentos marcantes. Na minha opinião, o momento mais marcante de toda a trama é um suicídio completamente inesperado que representa o perigo em que Matt se está a envolver. Contudo, quando tudo funciona bem, o final acaba por desapontar por estar aquém das minhas expectativas. A história tem um lado negro e macabro associado que torna o filme interessante mas existem momentos previsiveis em que a intensidade desvance, acabando por perder impacto.

Concluíndo, O Caminho entre o Bem e o Mal é uma viagem interessante, macabra e negra que perde algum impacto e peca por ficar aquém das expectativas mas até todas as peças do puzzle estarem juntas, o caminho é interessante, misterioso e contém bastantes momentos intesos e marcantes. As performances são boas e o desenvolvimento das personagens é sólido mas, com o passar do tempo senti que o perigo e o medo perdiam a força gradualmente. No final, O Caminho entre o Bem e o Mal, fica na minha memória pelo desenvolvimento da personalidade de Matt e pelo forte primeiro acto. Forte, intenso e violento, este é um filme que tem igual probabilidade de agradar e de desapontar mas se quiserem seguir o meu conselho, vejam-no e tirem as vossas próprias razões porque é uma viagem arriscada e intensa pelo caminho entre o bem o mal.

Artigos Relacionados

Siga o Quinto Canal nas redes sociais: