Sábado, 22 de Julho de 2017
Quinto Canal

Inside Gaming: O mundo de «The Sims 4»

Hoje decidi falar de uma daqueles jogos capazes de dividir opiniões e causar verdadeiros tumultos entre a comunidade gamer. Por um lado, os que o odeiam, afirmando que não se trata de um videojogo real, que é cheio de bugs e que não merece nem de perto nem de longe o sucesso que alcançou pelos chamados “jogadores mais casuais”. Por outro lado, os que o defendem com unhas e dentes afirmando que encarnar o papel de um outro ser humano e fazer a sua vida normal é tão divertido quanto jogar um GTA V. Depois há ainda os neutros, onde eu me situo. Não vou ser hipócrita e dizer que não gosto de The Sims, porque gosto e por vezes até me divirto bastante, mas é a tal situação que pelo que tenho conhecimento, também acontece com muitas pessoas: passado um bocado – não mais que uns dias – surge um aborrecimento enorme que eventualmente leva à desinstalação do título.

sims 4

Tendo redescoberto a piada nesta série de videojogos há uns meses, quando a EA foi uma “mãos largas” e deu aos utilizadores da Origin toda a saga de The Sims 2 gratuitamente, decidi dar uma hipótese ao mais recente The Sims 4. A minha reação quando vi algumas imagens e vídeos foi «meh, mais um Sims, igual aos outros»… Bem, e nem estava muito longe da verdade. Sim, dou mérito à EA por ter implementado o sistema das emoções que está bem interessante e engraçado, mas os bugs e as falhas dos jogos anteriores continuam presentes.

Assim que iniciamos o jogo, este leva-nos para a criação de uma personagem. Uma vez que em termos de personalização é possível criar criaturas verdadeiramente horrendas com pele verde ou azul, queixos e rabos assustadoramente grandes, decidi criar a Cachupa Muamba, a minha primeira Sim. A Cachupa é uma mulher forte, independente e que não precisa de um companheiro para levar a sua vida em frente – decidi presenteá-la com uma cara menos atraente mas um corpo de fazer inveja a qualquer halterofilista. Adiante, porque o importante não é o exterior mas o interior, foi altura de definir a personalidade desta minha bela criação. Entre tom de voz e traços de personalidade, entre um puxão de rabo aqui e um alargamento de ancas ali, o trabalho fica concluído. Após todo deste processo, o jogo levou-me para o primeiro de dois bairros presentes no jogo. E foi aqui que o choque se começou a apoderar.

sims4 cachupa

Os bairros são extremamente pequenos, do tipo meia dúzia de casas e umas 5 localizações públicas, o que é muito pouco, comparado com os títulos anteriores. Para conhecer outros Sims e quem sabe algo mais, temos o Bar, Ginásio, Parque, Museu e Biblioteca. Os tempos de loading são um outro aspeto negativo deste título. Se há algo que qualquer jogo da série The Sims sempre foi conhecido é pelos seus longos tempos de carregamento mas aqui chegamos ao cúmulo de ir a casa do vizinho, mesmo ao lado da nossa, e ter de passar por um ecrã de loading. Faz sentido? Não, porque está tudo renderizado e os Sims vizinhos estão sempre a passear de um lado para o outro, então qual é a necessidade disto? Sinceramente, não faço a mais pequena ideia, apenas sei que retira alguma fluidez ao jogo.

Relativamente à jogabilidade em si, tudo o que já conhecíamos das séries anteriores está lá, com a adição das tais emoções que basicamente fazem com que o nosso Sim fique Feliz, Romântico, Furioso, entre outros, o que nos vais ajudar a concretizar determinadas tarefas mais rapidamente e de forma mais eficaz. O que já não está lá são as piscinas e os carros, só para nomear aquelas que mais senti a falta, mas não são, de todo, tudo o que falta.

sims4''

Adiante… Lembram-se da Cachupa? Bem, quis-lhe dar um vizinho da frente todo jeitoso, para contrastar com o seu aspeto, e tentar ver se conseguia fazer o amor acontecer. O jogo parece que não gostou muito da minha ideia de juntar um loiro musculado e com tatuagens à dona Cachupa e decidiu matá-lo. Como? – Perguntam vocês. Eu respondo: com a porcaria de um bug que faz com que, mesmo com um alarme de incêndio ao lado do fogão, as chamas se alastrem, os bombeiros não venham e o Sim fica ali feito idiota a gritar enquanto o vemos a ser consumido vivo pelas chamas pois nem o conseguimos ajudar a fugir. E perdi o meu personagem. Agora, adeusinho pois vou ali jogar The Sims 2 com todas as expansões incluídas, que até tem piscinas, imaginem só!

 

PARTILHAR

SOBRE O AUTOR

Licenciada em Educação e Comunicação Multimédia na Escola Superior de Educação de Santarém. Viciada em videojogos desde sempre, comecei a escrever sobre eles já lá vão mais de dois anos.