Boa noite. Seja bem-vindo à segunda edição de Esqueceram-se de Mim, um simultâneo Por Outro Olhar/Televisão-Opinião. Esta semana, a personalidade relembrada é Eládio Clímaco.

A sua carreira é longa, e construiu-se principalmente a partir da RTP1. Ficou especialmente conhecido pela apresentação de vários Festivais da Canção, e pela locução de muitos Festivais da Eurovisão. Do seu currículo fazem ainda parte a condução dos Jogos sem Fronteiras, Descobrir Portugal e Melhor é Impossível (com Filipa Garnel).
De referir ainda o facto de, depois do 25 de Abril, ter sido pivô do Telejornal, na RTP1.

Desde há uns anos para cá, tem aparecido esporadicamente na estação pública, com excepção do programa que tem na RTP Memória: Há Conversa.

Ainda ontem (quarta-feira, 3 de Março), marcou presença no especial de Jogo Duplo Festival da Canção. Sensato, culto e divertido, Eládio Clímaco fez juz ao título de um dos senhores da televisão. Faz sentido ser aproveitado na RTP Memória, é verdade, mas porque não passar o Há Conversa para a generalista? Sendo um programa interessante, com convidados conhecidos, não entendo porque a estação pública não o coloca nas suas manhãs de fim-de-semana, nomeadamente nas de domingo.

Por outro lado, pergunto-me porque não utilizar mais Eládio Clímaco, um profissional tão querido pelos portugueses, e que tanto já deu ao canal? Será que a RTP se esqueceu disso? Mesmo sabendo que já não tem os seus 30 anos, já começa a ser comum a estação pública não aproveitar apresentadores com uma grande carreira no canal. Exemplo disso é Eládio Clímaco, Júlio Isidro ou mesmo Isabel Angelino. É pena! Por um vezes, uma pequena rubrica num talk-show, já demonstrava algum reconhecimento.

Diogo Santos

Artigos Relacionados

Siga o Quinto Canal nas redes sociais: