Tendo sido um dos grande sucessos da MTV nos últimos anos, 2014 era presentado com a estreia de Faking It, que veio animar o panorama das séries juvenis e não só, sendo por isso o nosso destaque da semana no Arquivo Só Séries.

.


  • Temporadas: 3 (2014 a 2016)
  • Episódos: 38
  • Transmissões em Portugal: MTV
  • Melhor Audiência: Temporada 1 – 955 mil telespetadores (USA)
  • Pior Audiência: Temporada 2 – 789 mil telespetadores (USA)

.

 


(Artigo originalmente publicado a 14 de outubro de 2014)

Numa altura em que são imensas as novas séries, falar de uma que já vai na sua segunda temporada pode parecer suspeito para vocês. Esta é uma daquelas produções que me provoca mixed feelings e por isso ainda não lhe tinha dedicado o meu tempo para falar sobre ela. E porquê? Porque a série é do mais vulgar que poder existir mas é extremamente viciante…

Criada por Carter Covington para o canal MTV, Faking It conta a história de duas amigas que procuram encaixar-se em algum grupo social na sua escola. Amy (Rita Volk) é uma jovem descontraída, que mora com a sua mãe e que é atormentada por Lauren (Bailey Buntain), a filha do seu padrasto. Por outro lado, Karma (interpretada pela luso-americana Katie Stevens), tem uma família pacata e hippie, e procura captar a atenção do rapaz mais giro da escola, Liam (Gregg Sulkin), sempre acompanhado pelo seu melhor amigo homossexual Shane (Michael Willett). Após várias tentativas para tentarem ser populares, é de uma maneira involuntária que, numa festa, são anunciadas como um casal lésbico e tornam-se alvo da atenção de todos. Como isto era o que Karma sempre quis, conseguindo assim também ter a atenção de Liam, Amy resolve ajudar a amiga e começam a fingir ser um casal. O que esta não estava à espera é que os seus sentimentos fossem tão inocentes como pareciam.

faking it

A história parece ridícula? Imenso. É totalmente impensável uma série retratar este tipo de cenário uma vez que nada tem em comum com a realidade. Principalmente na América, onde muitas têm sido as histórias que os meios de comunicação apresentam de adolescentes mal tratados pelos colegas e familiares por assumirem a sua homossexualidade. Apresentar um casal lésbico adolescente como extremamente popular na escola é algo totalmente inesperado e confesso que me deixou com o pé atrás em relação à série. Mas será que não resultou? Resultou imenso. É que a forma como a série está feita permite que assuntos sensíveis sejam tratados com alguma calma e comédia à mistura. Tirando a parte de toda a gente na escola as colocar num pedestal, tudo o resto está lá. A descriminação/aceitação dos pais, os maus tratos por parte de outros habitantes, os preconceitos e estereótipos, a descoberta da homossexualidade, as relações sexuais e até mesmo a presença de outros assuntos sensíveis retratados em outras personagens. E isto salva a série de ser um fracasso total.

O ponto forte de Faking It é sem dúvida o elenco. Composto maioritariamente por atores jovens, todos têm uma forte componente cómica. Michael Willett, que interpreta Shane, é na minha opinião o mais divertido e já me provocou imensas lágrimas. E o duo de protagonista resulta de uma forma excelente. Elas têm uma química que transparece a amizade que já desenvolveram fora do ecrã (e agora fica a questão, será só amizade? :P) e conseguem performances muito boas. Todo o peso da série está nas suas costas e elas conseguiram de uma forma original e divertida conquistar um lugar na televisão americana, sendo um dos casais mais adorados do momento.

fakingit

A série tem um look moderno e uma cor muito brilhante, talvez por ser uma produção para adolescentes. A banda sonora ajuda imenso a dar este toque juvenil à série, composta maioritariamente por músicas pop. Os planos são no geral bons e a câmara não é fixa, o que dá uma ideia de movimento bastante bem aproveitada.

Se estão à espera de uma série dramática que incida sobre um dos principais temas da atualidade, desenganem-se. Faking It é uma série para adolescentes, divertida e viciante, que procura abordar assuntos com os quais eles se identifiquem no geral. A exibição da segunda temporada no mesmo ano da estreia só prova que é uma aposta forte da MTV e que está a ter muito sucesso. Resta esperar e ver que novas aventuras e desamores irá o grupo de amigos viver no futuro… Eu cá aposto que elas vão acabar juntas.

DEIXE O SEU GOSTO E PARTILHE:

Artigos Relacionados