Música

O melhor do terceiro dia de «Rock in Rio Lisboa 2014» (30/05/2014)

Num dia marcado novamente pelo rock, houve música para todos os gostos e todas as idades no Rock in Rio Lisboa. Capital Inicial, Queens Of The Stone Age, Linkin Park e Steve Aoki foram as estrelas da noite, e o Quinto Canal recorda agora consigo os melhores momentos.

Depois da azáfama vivida ontem pela mão dos Rolling Stones, que se encarregaram de trazer a palco Bruce Springsteen, registando assim um dos momentos mais épicos da história dos 10 anos de hoje o festival voltou a dedicar o seu dia ao rock. Desta vez a chuva não se encarregou de estragar a festa, pois o sol foi uma constante ao longo de todo o dia, e ainda bem visível no primeiro concerto do Palco Mundo, onde se concentraram ao longo da noite cerca de 58 mil pessoas.

Os brasileiros Capital Inicial, que fizeram a sua estreia em Portugal, foram os responsáveis por abrir o palco, às 19 horas. A banda de rock já tinha anunciado a sua presença no nosso país na edição brasileira do festival do ano passado, onde são veteranos, não tendo participado apenas na primeira edição realizada do Rock in Rio Brasil, em 1984. O vocalista Dinho acabou por revelar ao público o nervosismo da banda pelo facto de se estrearem em terras lusas, nervosismo esse que não se notou, tal foi a energia que a banda transmitiu a todos os presentes. Pelo alinhamento não faltaram alguns dos seus êxitos como A Sua Maneira e Cristo Redentor, nem algumas covers como Should I Stay or Should I Go, dos Clash, e ainda Primeiros Erros, gravada pelo português Tim, dos Xutos e Pontapés. Antes do concerto terminar, ainda houve tempo para uma mensagem contra a política praticada no Brasil, e não só. Foi definitivamente uma grande estreia dos Capital Inicial, deixando a vontade de voltarem numa próxima oportunidade.

CI capa

Já com o sol a esconder-se, foi a vez de os Queens Of The Stone Age subirem ao palco, pouco passava das 20H45. Se o público mais novo aguardava ansiosamente por Linkin Park, sem dúvida que esta banda era a mais esperada pelo público mais velho. E isso notou-se por algumas imagens transmitidas na televisão, onde era notável a animação do público adulto desde o início, mais atrás na plateia, enquanto que o público jovem se foi deixando contagiar ao longo do concerto. Inigualável e esperado foi o estilo bem rock que os Queens Of The Stone Age transmitiram a todos os presentes. Além de apresentarem músicas do seu mais recente álbum em 2013, que serve de mote à atual digressão, não foram esquecidos êxitos como Go With The Flow, e na reta final, os famosos No One Knows e Song For The Dead. A guitarra no chão e o agradecimento perto do público marcou o fim do concerto, iniciando assim a contagem decrescente para aquele que seria o outro grande concerto da noite, com Linkin Park.

Queens Of The Stone Age

Apesar da meia hora de atraso, o público não desanimou e vibrou logo com os primeiros acordes de Catalyst, a música introdutória que abriu o concerto dos Linkin Park. Ao longo de hora e meia foram notórias as misturas entre o rock e a música eletrónica, estilo que tem estado cada vez mais presente na banda. Mas nem por isso os fãs, que esperaram várias horas pelo concerto, ficaram decepcionados, especialmente por a banda mostrar uma vez mais o carinho pelo nosso país, ao erguer em palco do início ao fim a bandeira de Portugal. Do alinhamento fizeram parte músicas novas, como Guilty All the Same, WastelandsUntil It’s Gone, que fazem parte do novo álbum que será lançado em junho, mas grandes êxitos como Given Up, Waiting For The End, Numb e In The End também não ficaram de fora. Apesar de o concerto ter sido emocionante do início ao fim, sem dúvida que o ponto alto aconteceu com o encore, onde aí sim foram tocado igualmente grandes êxito que já acompanham os Linkin Park há vários anos, como é o caso de Crawling, New Divine, What I’ve Done e Bleed It Out, não faltando também o já famoso A Light That Never Comes, que contou com a presença em palco do DJ Steve Aoki, responsável por produzir a música juntamente com a banda, provocando ainda mais o delírio dos fãs, aquecendo-os para a grande festa que viria a seguir. Um concerto que tão cedo os fãs dos Linkin Park não esquecerão.

Linkin Park Capa

Com os dois principais concertos do Palco Mundo já decorridos, milhares de pessoas dispersaram-se pelo recinto do Rock in Rio, fazendo-se prever que Steve Aoki atuasse para bem menos gente que os seus antecessores. Mas a verdade é que mal começou o seu set, o público voltou a reunir-se em frente ao palco para ver Aoki transformar o recinto numa verdadeira pista de dança. Se calhar muitos deles juntaram-se por curiosidade em ver as surpresas que aí vinham, mas a verdade é que ao longo de pouco mais de uma hora, além de muita música e animação, não faltaram bolos arremessados à plateia, champanhe, confettis, e até mesmo barcos insufláveis por cima do público, havendo tempo ainda para que o DJ erguesse a bandeira de Portugal com o maior orgulho. São estes os ingredientes que compõem um concerto de Steve Aoki, e que movem milhares de pessoas, muitas delas acompanhadas com o já famoso cartaz a dizer “Cake Me”, pedindo assim para que o DJ lhes atire o tão aguardado bolo. Para encerrar da melhor maneira, Steve Aoki quis presentear o público, e desceu do palco até bem perto dos seus fãs para tirar variadas fotos com eles.

Aoki Capa

Apesar dos longos três dias que já trouxeram grandes concertos ao Rock in Rio Lisboa, o festival ainda tem muito para dar. Este sábado não perca as atuações no Palco Mundo de Ed Sheeran (20H30), Lorde (22H), Arcade Fire (23H55), e ainda o concerto de homenagem a António Variações, a partir das 19H, com as atuações de Gisela João, Linda Martini, Deolinda e Rui Pregal da Cunha.

Relembramos que poderá acompanhar através do Quinto Canal todo os detalhes do festival, no nosso Facebook e Twitter. No domingo, estaremos presente no Rock in Rio Lisboa para levar ate si o melhor do último dia deste grande evento.

Artigos Relacionados

Siga o Quinto Canal nas redes sociais: